Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais de 130 pessoas morreram em inundações no sul da Rússia

As inundações na região russa de Krasnodar (sul) causaram a morte de 134 pessoas e afetaram cerca de 13.000 habitantes da área, no pior desastre natural do tipo em décadas, informaram as autoridades neste sábado.

Os habitantes foram pegos completamente de surpresa à noite pela força das águas, que tomaram conta das ruas e invadiram as casas em questão de minutos.

No distrito de Krymsk, o mais atingido pela tragédia, as autoridades localizaram 123 corpos até o momento, incluindo uma criança de dez anos, segundo o porta-voz da polícia regional, Igor Zhelyabin.

Nove pessoas morreram na cidade de Gelendzhik, no Mar Negro, e duas na cidade portuária de Novorossiisk, disse a mesma fonte.

As vítimas incluem duas mulheres e três homens eletrocutados em Gelendzhik na sexta.

“Tudo aconteceu muito rápido à noite”, afirma a administração regional em um comunicado.

Zhelyabin não quis especular quanto ao alto número de mortos e afirmou apenas que Moscou já iniciou uma investigação.

Na internet, no entanto, muitos russos dizem que tantas mortes podem ser o resultado de uma comporta rompida num reservatório de água. As autoridades negam essas afirmações.

“Infelizmente, os rumores correm mais rápido que as informações oficiais”, afirmou uma porta-voz do governo regional, Anna Minkova, segundo a rádio Echo de Moscou.

“Não há reservatório, não há comporta aberta”, enfatizou, acrescentando que o distrito não possui um reservatório que seria capaz de causar a inundação.

Tatyana, moradora de Krymsk, disse que tudo aconteceu muito de repente.

“A água subiu muito depressa. Inundou a casa das pessoas em dez minutos”, contou.

Ela acrescentou que os serviços de emergência não emitiram qualquer tipo de alerta.

“Muitas pessoas mais velhas deviam estar dormindo e provavelmente morreram”, acrescentou.

“Pela manhã, havia barcos nas ruas. Uma mulher passou a noite numa árvore até ser resgatada”.

Choveu em Gelendzhik em 24 horas o correspondente a cinco meses, segundo a administração local.

Em Novorossiisk, o maior porto da Rússia no Mar Negro, as chuvas de 24 horas corresponderam a dois meses.

Uma célula de emergência foi formada para tentar colocar a situação sob controle, segundo um funcionário do porto, Mikhail Sidorov.

“Em alguns lugares, o nível da água atingiu um metro e meio”, afirmou.

As inundações e deslizamentos afetaram as operações do porto e a operadora Transneft informou que interromperá temporariamente o transporte de petróleo.

“Vladimir Putin está recebendo informações regulares sobre a situação”, afirmou Kremlin numa declaração.

O governador de Krasnodar, Alexander Tkachev, afirmou ter falado por telefone com o presidente Putin e o primeiro-ministro Dmitri Medvedev e pedido ajuda.