Clique e assine a partir de 8,90/mês

Japão lança primeiro telescópio de observação planetária

O telescópio Sprint-A foi lançado a bordo do Epsilon-1, primeiro de uma nova geração de foguetes mais baratos e com inteligência artificial

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h17 - Publicado em 16 set 2013, 12h20

A Agência Aeroespacial do Japão (Jaxa) conseguiu neste sábado, após várias tentativas fracassadas, fazer o lançamento do foguete Epsilon-1, que leva a bordo o primeiro telescópio espacial de observação planetária remota.

O lançamento aconteceu às 14h locais (2h no horário de Brasília) no Centro Espacial de Uchinoura, em Kagoshima, no sudoeste do país. Com o Epsilon-1, o Japão vai colocar em órbita o telescópio Sprint-A, o primeiro de observação remota de planetas como Vênus, Marte e Júpiter, a partir da órbita da terra.

“O telescópio representará uma revolução na indústria espacial”, assegurou Yasuhiro Morita, encarregado do lançamento, em comunicado divulgado pela Jaxa, que comemora seu décimo aniversário este ano.

O custo do lançamento do Epsilon é de 5,3 bilhões de ienes (54 milhões de dólares), quase a metade dos custos do modelo H-IIA, utilizado em lançamentos anteriores, mas a agência acredita que ainda pode reduzir mais, para até 3 bilhões de ienes (30 milhões de dólares).

Além disso, ele tem metade do tamanho dos foguetes da geração anterior e utiliza inteligência artificial para realizar checagens de segurança. Por essa razão, apenas oito pessoas foram necessárias para executar seu lançamento, em vez das 150 que costumavam precisar estar presentes.

Continua após a publicidade

Tentativas fracassadas – No dia 27 agosto, quando foi feita a última tentativa fracassada, o sistema realizou uma parada automática de emergência poucos segundos antes do lançamento, por causa de um problema com a inclinação do foguete. Uma semana antes, foi cancelada a primeira tentativa, por problemas no sistema de cabos da equipe de comunicação.

O Japão desenvolve desde 2003 um intenso programa espacial que, baseado em sua tecnologia pioneira, está focado na exploração dos planetas e asteroides.

Leia também:

Japão vai entrar na corrida comercial do espaço

Robô falante japonês vai ao espaço em missão histórica

(Com Efe)

Continua após a publicidade
Publicidade