Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Inventor propõe sistema rápido de transporte em tubos

Empresário Elon Musk apresentou uma nova tecnologia baseada no uso de tubos elevados para transportar passageiros a até 1.200 quilômetros por hora — encurtando o tempo gasto com viagens entre cidades relativamente próximas, como Rio de Janeiro e São Paulo

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h18 - Publicado em 12 ago 2013, 21h58

O empresário e cientista sul-africano Elon Musk divulgou nesta segunda-feira o projeto de um novo tipo de transporte rápido, capaz de substituir trens e aviões em médias distâncias . Em um documento publicado em seu blog, o inventor descreve a tecnologia do Hyperloop Alpha, um novo meio de transporte baseado no uso de tubos de aço elevados para disparar cápsulas com passageiros humanos entre cidades de até 1.500 quilômetros. A tecnologia usa tubos de baixa pressão e um sistema de levitação nas cápsulas para que o veículo possa atingir até 1.200 quilômetros por hora – quatro vezes mais rápido que os trens-bala comuns.

O sistema foi desenhado para transportar pessoas entre as cidades americanas de São Francisco e Los Angeles – um pouco mais distantes do que São Paulo e Rio de Janeiro – em menos de trinta minutos. Apesar de ter projetado toda a tecnologia por trás do Hyperloop, Elon Musk diz que não pretende, por enquanto, lucrar com a ideia. Sua invenção está aberta na internet, para ser copiada, melhorada e desenvolvida por outras empresas.

Mesmo que ele tenha prometido não se envolver no desenvolvimento da tecnologia, é a própria presença de Musk no projeto que garante credibilidade ao Hyperloop. O empresário é conhecido por se apoderar de ideias desacreditadas – que parecem especulativas, rebuscadas e futuristas -, botá-las em prática e torná-las lucrativas. Ele é fundador, por exemplo, da Space X, companhia que produz foguetes para a exploração espacial privada, e a Tesla Motors, empresa que está tornando prático o uso de carros elétricos nos Estados Unidos.

Velocidade máxima – O empresário diz que a ideia para o Hyperloop surgiu no ano passado, quando foi aprovada a construção de um trem-bala ligando São Francisco e Los Angeles. O veículo seria capaz de atingir até 264 quilômetros por hora e percorrer em duas horas e meia os 600 quilômetros que separam as cidades. Musk considerou isso uma vergonha. “Como pode ser que a região que abriga o Vale do Silício e o Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa – responsáveis por indexar todo o conhecimento do mundo e enviar sondas a Marte – construir um trem-bala que é um dos mais caros e lentos do mundo?”, escreve no documento.

Desde então, Musk tem divulgado pequenos detalhes do projeto, como o fato de ser baseado em tubos e atingir altas velocidades. Dado o retrospecto de suas invenções, a divulgação a conta-gotas gerou alta expectativa. Nesta segunda-feira, ele finalmente lançou um documento descrevendo o Hyperloop. Ao contrário do trem-bala, ele é capaz de ligar São Francisco e Los Angeles em cerca de 30 minutos.

Assim como os aviões sobem a grandes altitudes para poder viajar em regiões onde a pressão e a resistência do ar é menor, o Hyperloop é baseado na construção de tubos vedados que isolam a cápsula do ar exterior. Ali dentro, a pressão é equivalente a um milésimo da pressão atmosférica sentida ao nível do mar.

Cada cápsula é capaz de carregar 28 passageiros por viagem. Segundo Musk, rodas não funcionam bem nas altas velocidades planejadas, o que o levou a projetar um sistema de levitação baseado no uso de pequenos ventiladores para suspender a cápsula. Em um ambiente quase sem nenhuma fricção, o veículo é capaz de se locomover a 480 quilômetros por hora nas regiões de baixa velocidade, como perímetros urbanos, e a 1.200 quilômetros por hora nos trechos de alta velocidade.

Continua após a publicidade

Leia também:

O transporte público gratuito é possível?

Seis aplicativos que ajudam a desafogar o trânsito

O tubo de aço deverá ser construído de modo contínuo entre as duas cidades, sustentado por colunas a cada 30 metros. Painéis solares localizados na parte superior do tubo devem fornecer a energia elétrica necessária para o sistema funcionar. Segundo o empresário, o sistema é ideal para ligar cidades que sejam separadas por, no máximo, 1.500 quilômetros. Para distâncias maiores, sai mais barato e rápido usar aviões.

Projeto aberto – Segundo o documento, a tecnologia deverá funcionar com o lançamento de cápsula entre as duas cidades a cada dois minutos. Nos horários de pico, no entanto, ela será capaz de disparar uma a cada trinta segundos. No final do ano, isso deve representar 7,4 milhões de passageiros transportados em cada direção do tubo.

O custo estimado da tecnologia é de seis bilhões de dólares. Levando em conta o investimento necessário para a construção e a manutenção do equipamento, Musk sugere que cada passageiro pague vinte dólares pela viagem.

O empresário diz que está muito ocupado com seus outros projetos e não poderá se envolver no desenvolvimento da tecnologia nos próximos anos. As informações do Hyperloop, no entanto, já estão na internet, abertas para serem estudadas e modificadas por outros cientistas interessados. Agora, seu desenvolvimento não depende mais de Musk.

Continua após a publicidade
Publicidade