Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Incêndios no Chile devastaram mais de 40 mil hectares de floresta

Por Alejandro ZoÑes - Atualizado em 6 maio 2016, 16h49 - Publicado em 3 jan 2012, 15h29

Os incêndios florestais no sul do Chile avançam e já consumiram mais de 40.000 hectares, com focos mais violentos na zona de Quillón, informou nesta terça-feira o Escritório Nacional de Emergências (Onemi).

Em todo o país há 20 focos de incêndios ativos, em uma situação de “extrema vulnerabilidade”, informou o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, ao divulgar o último boletim oficial.

A maior emergência foi registrada na região de Biobío, 500 km ao sul de Santiago, onde quatro focos de incêndio continuam ativos e já arrasaram 21.300 hectares.

Na véspera, uma idoso que não quis deixar o lugar morreu queimado em sua casa.

Publicidade

O incêndio ganhou força nas últimas horas devido ao forte vento e às altas temperaturas que foram registradas na região, os mesmos fatores que ajudaram a aumentar as chamas no parque nacional Torres del Paine, na Patagônia chilena, a mais de 3.000 km ao sul de Santiago.

O incêndio no Torres del Paine começou na terça-feira passada e até esta segunda-feira tinha consumido 12.795 hectares.

Setecentos e cinquenta e três brigadistas trabalham no local e é esperada a reabertura parcial do parque nos próximos dias, no setor norte, numa área de 100 a 150 mil hectares, as mais visitadas pelos turistas. A extensão total do parque é de 230 mil hectares.

As autoridades decretaram esta região como ‘zona de catástrofe’ para destinar rapidamente recursos para os afetados.

Publicidade

Nas próximas horas, mais brigadistas devem chegar aos locais afetados para tentar controlar o fogo. Um avião transportando deve partir do Brasil levando barris de água, anunciou Hinzpeter.

“Pedimos ajuda ao Brasil para o envio de um avião é capaz de transportar uma grande quantidade de água”, disse o ministro.

No sábado, o israelense Rotem Singer, de 23 anos, foi acusado de ter causado o incêndio por agir de forma negligente, tendo sido liberado depois de algumas horas. Ele pode pegar de 40 a 60 dias de prisão e uma multa máxima de 300 dólares. As pequenas punições levaram o presidente Sebastian Piñera a anunciar “uma profunda modificação” na legislação de proteção às florestas.

“A probabilidade de que tenha sido causado intencionalmente, infelizmente não é uma probabilidade que podemos descartar”, afirmou Hinzpeter.

Publicidade

As autoridades regionais, por sua vez, apontaram suas suspeitas para o início simultâneo do incêndio em oito pontos.

“Temos uma informação entregue pela Forestal Arauco (nr: empresa florestal) que este incêndio começou na manhã de sexta-feira (…) em oito pontos simultaneamente, o que parece indicar uma intencionalidade, mas não temos mais informações”, disse o prefeito da Biobío, Victor Lobos.

Publicidade