Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Humanos e neandertais se relacionaram 40 mil anos antes do que se acreditava

Pesquisa publicada na 'Nature' estudou o genoma de um neandertal que viveu há 100.000 anos e identificou nele traços de DNA de 'Homo sapiens'. Acreditava-se que o acasalamento entre as duas espécies tivesse acontecido há 65.000 anos

A primeira relação sexual entre os humanos modernos e os neandertais pode ter ocorrido há 100.000 anos – 40.000 anos antes do que se acreditava. Uma pesquisa publicada na última quarta-feira (17) na revista científica Nature estudou os restos mortais de uma fêmea neandertal encontrados em uma caverna em Altai, na Sibéria, e identificou em seu genoma traços do DNA residual de Homo sapiens. A descoberta sugere que alguns seres humanos deixaram a África antes do que se pensava e, ao encontrar neandertais, os dois tiveram relações sexuais. Esta é a primeira vez que traços de DNA do humano moderno são encontrados em neandertais, já que o processo costuma ser o inverso – o que prova que o DNA pode migrar entre as duas espécies, em uma via dupla.

“Uma população de humanos modernos deixou a África muito antes do que pensávamos e se encontrou com os neandertais há, aproximadamente, 100.000 anos”, explicou Sergi Castellano, do Instituto Max Planck de antropologia evolutiva, na Alemanha, ao site britânico do The Guardian.

Leia também:

Nove mitos e verdades sobre os neandertais

Neandertais coexistiram com os humanos na Europa por até 5,4 mil anos

Viajantes pioneiros – Estudos indicam que os humanos modernos surgiram na África há cerca de 200.000 anos e migraram para outras partes do mundo. Em torno de 60.000 anos atrás os humanos modernos teriam deixado o continente e se acasalado com os neandertais. Contudo, o novo estudo, realizado por uma equipe internacional de pesquisadores, identificou nos fósseis neandertais datados de cerca de 100.000 anos, vestígios do gene FOXP2, de humanos modernos. O gene, geralmente relacionado ao desenvolvimento da linguagem, é uma prova indireta de que os humanos modernos deixaram a África antes do que se acreditava e se misturaram com os neandertais.

Os autores do estudo, no entanto, têm poucas informações sobre estes viajantes pioneiros: “Sabemos apenas que eles se separaram muito cedo dos outros humanos modernos da África e que acasalaram com os neandertais há cerca de 100.000 anos”. “É a primeira prova genética, fora da África, do humano moderno”, comemora Castellano. “Ainda não dispomos de ossadas destes homens, mas apenas traços que eles deixaram nos neandertais”.

Os primeiros fósseis de Homo sapiens encontrados na Europa datam de cerca de 45.000 anos. O continente era então povoado por neandertais. Um hipótese provável para explicar a presença de genes de Homo sapiens em mulheres neandertais é que um pequeno grupo de humanos modernos tenha migrado para o Oriente Médio, onde encontrou neandertais e se mesclou. Contudo, a jornada parece ter fracassado em deixar descendentes, pois os cientistas não encontraram vestígios dessa população durante a colonização da Europa, Ásia e outras áreas.

“Não sabemos o que aconteceu com eles”, disse o geneticista Martin Kuhlwilm à Reuters. “Parece provável que essa população tenha se extinguido, seja por mudanças ambientais seja por competição direta com neandertais.”

(Da redação)