Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Higgs: Nobel é reconhecimento do valor da ciência básica

Em nota, físico se diz encantado com a conquista do prêmio e parabeniza a todos os que se esforçaram para comprovar a validade de sua teoria

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h16 - Publicado em 8 out 2013, 18h18

O físico britânico Peter Higgs disse nesta segunda-feira que ficou encantado com a conquista do Prêmio Nobel de Física, ao lado do belga François Englert, em reconhecimento à teoria que explica como as partículas subatômicas adquirem massa. Em uma declaração divulgada pela Universidade de Edimburgo, na Escócia, onde leciona Física Teórica, Higgs parabenizou a todos os que se esforçaram para comprovar a sua teoria. Agradeceu à família, amigos e colegas e manifestou o desejo de que o prêmio ajude a valorizar as pesquisas em ciência básica.

Saiba mais

BÓSON DE HIGGS

O bóson de Higgs é uma partícula subatômica prevista há quase 50 anos. Após décadas de procura, os físicos ainda não conseguiram nenhuma prova de que ela exista. O Higgs é importante porque a existência dele provaria que existe um campo invisível que permeia o universo. Sem o campo, ou algo parecido, nada do que conhecemos existiria. Os cientistas não esperavam detectar o campo, mas sim uma deformação nele, chamada bóson de Higgs.

Segundo a Academia Real de Ciências da Suécia, responsável pela escolha dos vencedores, Higgs e Englert foram premiados pelo “descobrimento teórico de um mecanismo que contribui para nosso entendimento da origem das partículas subatômicas com massa”. Em 1964, os dois previram, de maneira independente, a existência de uma partícula com a qual as outras interagem e que faz com que adquiram massa. Em 2012, suas ideias foram finalmente confirmadas pela descoberta da partícula, batizada bóson de Higgs, no Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partículas do mundo.

Personalidade – Aos 84 anos, Higgs é descrito por seus colegas como uma pessoa modesta e avessa à tecnologia. Segundo o jornal Sunday Times, Higgs não tem telefone celular ou televisão e teria resistido por muito tempo a comprar um computador.

Continua após a publicidade

Higgs teve o primeiro artigo sobre o bóson rejeitado pela revista Physics Letters, editada na época pelo Centro Europeu de Física de Partículas (Cern), a mesma organização que acabaria por confirmar a existência da partícula cinquenta anos depois. “Nunca pensei que isto aconteceria comigo vivo”, declarou Higgs, em um vídeo divulgado após o anúncio de que o Cern havia descoberto o bóson.

Leia também:

‘Criador’ do bóson de Higgs diz que ‘é agradável ter razão’

A incrível saga do bóson de Higgs

Pesquisa em física – O reitor da universidade escocesa, Timothy O’Shea, expressou entusiasmo com o prêmio conferido ao professor. “O descobrimento da partícula de Higgs apoiará a próxima geração de pesquisa física, e este prêmio é um digno reconhecimento de sua importância”, declarou. Neste ano, Higgs recebeu também o Prêmio Príncipe de Astúrias de Pesquisa Científica e Técnica.

(Com Agência France-Presse e Efe)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês