Clique e assine com até 92% de desconto

Ferramentas de tratamento ginecológico milenares são escavadas no Egito

Há quase 4 mil anos, mulher teria sido tratada para uma fratura na pélvis

Por Sabrina Brito Atualizado em 19 nov 2020, 13h13 - Publicado em 19 nov 2020, 12h54

Costuma-se atribuir o “nascimento” da ginecologia aos estudos do médico James Marion Sims durante o século XIX. No entanto, uma nova descoberta no Egito aponta que essa ciência seja muito mais antiga do que se pensava.

Na região egípcia de Qubbet el-Hawa, conhecida por abrigar diversas sepulturas, arqueólogos encontraram evidências de um tratamento ginecológico que teria sido realizado em aproximadamente 1.800 antes de Cristo.

De acordo com os pesquisadores envolvidos na descoberta, a paciente teria sofrido um trauma em sua pélvis, talvez decorrente de uma queda, que causaria grande dor. Assim, segundo as evidências, os cirurgiões egípcios da época teriam tratado a moça com fumigações, segundo mandavam os papiros médicos milenares.

Os resquícios da mulher foram encontrados com uma tigela entre suas pernas, dentro da qual havia materiais queimados — confirmando a teoria de fumigação. O tratamento, embora possa parecer violento nos dias de hoje, teria potencial para diminuir as dores da paciente.

Continua após a publicidade
Publicidade