Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Falhas em medidas de combate ao incêndio são detectadas em Fukushima

Reatores da usina japonesa estavam equipados com cabos inflamáveis que aumentavam riscos de um incêndio

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h24 - Publicado em 1 jan 2013, 10h29

As agências reguladoras japonesas detectaram falhas nos sistemas de combate aos incêndios em mais de 10 dos 50 reatores nucleares paralisados no país após o terremoto e tsunami de março de 2011, o que pode adiar a retomada das centrais em vários anos.

Leia também:

A energia nuclear pós-Fukushima

Fukushima liberou 168 vezes mais césio que bomba de Hiroshima

Entenda os diferentes níveis de radiação e seus efeitos

Os reatores estavam equipados com cabos inflamáveis ou instalações muito próximas umas das outras, o que poderia intensificar a gravidade de um incêndio, segundo o jornal Mainichi, que cita fontes do ministério da Indústria e da Autoridade Reguladora Nuclear (NRA). O ministério está investigando os problemas e a NRA ouvirá as empresas que administram os reatores.

Em alguns reatores, as obras de reparo necessárias podem adiar em vários anos a retomada da atividade, de acordo com o jornal. Se a reforma for muito cara, os reatores afetados podem ser desmantelados.

Depois de quase dois anos do acidente na central de Fukushima (220 quilômetros ao nordeste de Tóquio), 48 dos 50 reatores do país estão desativados.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade