Clique e assine com até 92% de desconto

Experimento faz macaco controlar a mão de outro animal com o pensamento

Resultados podem ajudar a desenvolver novos tratamentos para casos de paralisia

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h14 - Publicado em 21 fev 2014, 14h31

Cientistas americanos fizeram com que um macaco conseguisse mover através do pensamento o braço de outro primata. No experimento, a mão de um macaco Rhesus totalmente sedado – para simular um quadro de paralisia – manipulou um joystick para executar tarefas determinadas por outro animal. Os resultados foram publicados nesta terça-feira, no periódico Nature Communications.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: A cortical-spinal prosthesis for targeted limb movement in paralysed primate avatars

Onde foi divulgada: periódico Nature Communications

Quem fez: Maryam M. Shanechi, Rollin C. Hu e Ziv M. Williams

Instituição: Universidade Cornell, EUA, e outras

Resultado: Cientistas fizeram com que um macaco conseguisse mover – através do pensamento – o braço de outro primata, adormecido

Danos na medula espinhal podem interromper o fluxo de informações entre o cérebro e o corpo, tornando os pacientes incapazes de realizar determinados movimentos. Os pesquisadores pretendiam descobrir uma forma de criar uma “ponte” para restaurar o controle do corpo. “Nós demonstramos que um indivíduo consegue controlar um membro paralisado usando unicamente seus pensamentos”, explicou Maryam Shanechi, da Escola de Engenharia Elétrica e de Computadores da Universidade Cornell.

Continua após a publicidade

Para que não precisassem provocar a perda de movimentos em um animal, os pesquisadores usaram dois macacos – um que controlaria o movimento e outro que seria sedado, funcionando como um “avatar”. Em testes de laboratório, uma equipe de engenheiros e neurocientistas usou eletrodos para conectar o cérebro de um macaco à espinha dorsal do outro através de um computador, que decodificou e retransmitiu sinais neurológicos.

O macaco “mestre” foi colocado em uma cadeira especial diante da tela de um computador que exibia um cursor e um círculo verde que se alternavam entre dois pontos. O segundo macaco foi totalmente sedado em outro recinto, com o braço atado a um joystick de 360 graus que controlava o cursor em busca do alvo circular na tela do outro primata.

Quando o “mestre” pensava em mover o cursor, seus sinais cerebrais eram decodificados e transmitidos em tempo real à coluna espinhal do avatar adormecido, cujo braço então manipulava o joystick. A dupla de primatas, mestre e avatar, atingiu o alvo em 84% das tentativas, afirmaram os cientistas.

Leia também:

Implante neural recupera capacidade de tomar decisões em macacos

Laboratório de Nicolelis faz macacos controlarem o movimento de dois braços virtuais só com o pensamento

Inovação – Pesquisas prévias sobre as chamadas interfaces cérebro-máquina (BMI, na sigla em inglês) já tinham mostrado que pessoas podem mover cursores de computador ou até mesmo braços mecânicos usando a força do pensamento. Shanechi e sua equipe afirmam que essa foi a primeira pesquisa a dar a um animal o controle sobre o membro vivo de outro animal. Outra novidade foi o uso de dois macacos separados, que “imitam mais de perto uma situação real de tetraplegia”, afirmou Ziv Williams, do Centro de Reparo do Sistema Nervoso da Escola de Medicina de Harvard, integrante da equipe de pesquisadores.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade