Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Europa fecha acordo para construir telescópio inovador

Com lançamento previsto para 2029, o aparelho observará planetas distantes da nossa galáxia

Por Sabrina Brito 7 dez 2021, 18h33

Recentemente, a indústria europeia assinou um contrato para construir o telescópio espacial Ariel, cuja missão será estudar planetas fora da Via Láctea. A liderança do projeto é do Reino Unido com participação da Airbus, e espera-se que o lançamento ocorra em 2029.

O Ariel será capaz de analisar aproximadamente mil exoplanetas (ou seja, planetas que não orbitam o nosso Sol) e será sensível à luz infravermelha. O telescópio será enviado para um ponto localizado a 1,5 milhões de quilômetros da Terra, onde ficará por cerca de quatro anos.

Sabe-se que o aparelho, feito principalmente de alumínio, terá de funcionar em temperaturas inferiores a 230 graus Celsius negativos, o que pode representar um desafio tecnológico. A ideia é que o Ariel consiga monitorar os planetas e seus movimentos em volta de cada estrela, de forma que obtenhamos mais dados sobre a composição de suas atmosferas. A meta final é construir uma espécie de catálogo desses exoplanetas, acrescentando informações importantes ao conhecimento humano acerca do espaço.

Embora astrônomos tenham descoberto aproximadamente quatro mil exoplanetas ao longo da nossa história, pouco se sabe sobre eles. Espera-se que o Ariel, em conjunto com outros telescópios (a exemplo do exemplar norte-americano denominado James Webb, que custou à Nasa bilhões de dólares) nos permita aprofundar o que sabemos sobre o funcionamento das galáxias que nos cercam.

 

Continua após a publicidade

Publicidade