Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Estudo: o ser humano nasce “programado” para ler

Pesquisa aponta que somos capazes de reconhecer palavras muito antes de aprender a ler e escrever

Por Sabrina Brito Atualizado em 23 out 2020, 13h17 - Publicado em 23 out 2020, 12h58

Uma nova pesquisa, publicada no último dia 22, apontou que o ser humano nasce com uma parte do cérebro já preparada para receber letras e palavras. O estudo foi conduzido com base na análise de exames de imagem dos cérebros de recém-nascidos.

A descoberta sugere que o cérebro humano seria um campo fértil para o desenvolvimento da sensibilidade às palavras muito antes da exposição à linguagem de fato começar. Até agora, a ideia era de que a porção visual do cérebro seria sensível a rostos e objetos desde o nascimento, mas que a identificação de palavras viria apenas anos depois, com a aprendizagem da leitura e da escrita.

O artigo, publicado no periódico científico Scientific Reports, revelou ainda que a seção do cérebro especializada em visão tem forte conexão com a região responsável pelo processamento da linguagem. Contudo, algumas diferenças foram encontradas na análise dos exames de recém-nascidos em comparação com os de adultos.

Segundo os pesquisadores, a experiência com a linguagem — seja ela escrita ou falada — parece ser capaz de fortalecer o vínculo entre a parte visual e a parte linguística do cérebro. Dessa forma, quanto mais alfabetizada a pessoa se tornar, mais especializada a região da linguagem será.

Continua após a publicidade

Publicidade