Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Estudo: Enfrentar a mudança climática pode criar 8 milhões de empregos

Vagas devem ser abertas no setor de energia conforme as apostas em sustentabilidade se tornarem maiores

Por Sabrina Brito 23 jul 2021, 17h43

Uma nova pesquisa, publicada no periódico científico One Earth, revelou que cumprir as promessas feitas em relação à mudança climática (isto é, de manter o aquecimento global inferior aos 2°C em comparação com níveis pré-industriais) pode levar à criação de oito milhões de empregos no setor de energia. O estudo levou em conta dados e informações coletados em cinquenta países diferentes.

De acordo com os pesquisadores, existem atualmente 18 milhões de pessoas trabalhando no ramo da energia. Com o crescimento da aposta em meios renováveis de produzir energia ao longo dos anos como forma de alcançar as metas estabelecidas, esse número pode chegar aos 26 milhões.

Segundo o artigo, entre as vagas no setor em 2050, 84% serão focadas em energia verdes, 11% serão ligadas a combustíveis fósseis e 5% serão relacionadas à energia nuclear. Atualmente, a fatia do mercado ocupada pelo ramo dos combustíveis fósseis é de 80%.

Embora aponte para um futuro onde o ar é mais limpo e os objetivos estabelecidos para conter o aquecimento global se aproximam, o estudo indica a possibilidade de que muitos indivíduos percam seus empregos com essa mudança no setor da energia. Nem todos os trabalhadores cujo dia a dia envolve lidar com combustíveis fósseis conseguirão se adaptar à indústria da energia verde, por exemplo. Assim, segundo o artigo, o objetivo da sociedade deve ser construir uma “transição justa”, onde ninguém seja deixado para trás e o meio ambiente não seja negativamente afetado.

Continua após a publicidade
Publicidade