Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Esqueleto de soldado é descoberto no campo da batalha de Waterloo

Combate a 20 quilômetros de Bruxelas, em 1815, selou derrota de Napoleão

Quase dois séculos depois da derrota de Napoleão Bonaparte em Waterloo, no território da atual Bélgica, arqueólogos encontraram o esqueleto completo de um soldado morto no célebre campo da Batalha de Waterloo.

“Ele parece morrer diante de nossos olhos”, disse nesta terça-feira o arqueólogo Dominique Bosquet, referindo-se ao esqueleto desenterrado na semana passada durante trabalhos de restauração do local, situado cerca de vinte quilômetros ao sul de Bruxelas.

Saiba mais

NAPOLEÃO BONAPARTE

Em 1799, um oficial de artilharia do exército francês de apenas 30 anos de idade liderou um golpe de estado e se autoproclamou Primeiro Cônsul. Era Napoleão Bonaparte, que cinco anos mais tarde seria proclamado imperador. A chegada de Napoleão ao poder é o marco histórico que encerra a Revolução Francesa, detonada dez anos antes. Napoleão governou a França até abril de 1814 (voltou a ocupar a posição durante alguns meses em 1815). Em seu governo, a França envolveu-se em conflitos com as grandes potências da Europa, as Guerras Napoleônicas. Napoleão conquistou uma hegemonia sem precedentes no Velho Continente. Em 1812, porém, sofreu um grave revés na Campanha da Rússia e viu seu império começar a ruir. A batalha final aconteceu em Waterloo, em junho de 1815, quando o exército de Napoleão foi derrotado pelos britânicos, que o exilaram na ilha de Santa Helena, no Oceano Atlântico, onde morreria seis anos depois.

BATALHA DE WATERLOO

A Batalha de Waterloo aconteceu em 18 de junho de 1815 na cidade homônima, na Bélgica. Esse foi um combate decisivo das forças francesas contra as britânicas. Aconteceu durante o Governo dos Cem Dias de Napoleão Bonaparte. Cerca de 125.000 homens do Grande Exército Napoleônico enfrentaram 210.000 soldados do campo aliado na batalha que mudou o destino da Europa. Os franceses foram derrotados e mais de 12.000 pessoas foram mortas.

Deitado de costas, com uma bala ainda presa na altura do pulmão esquerdo, o soldado estava coberto por 40 centímetros de terra. Aparentemente, o corpo não foi movido após a sua morte. Pode ter sido enterrado rapidamente por algum companheiro de batalha, para não atrair saqueadores, segundo os arqueólogos.

O local onde foi encontrado, atrás de um bastião das tropas do Duque de Wellington – general e estadista britânico que derrotou Napoleão Bonaparte -, sugere que o soldado era britânico, segundo Yves Vander Cruysen, da associação “Batalha de Waterloo 1815”.

O uniforme foi desfeito com o tempo, mas a futura análise dos objetos pessoais – uma colher, moedas, botões da roupa e um pedaço de madeira com as iniciais CB gravadas – poderão confirmar se ele pertencia ao campo dos vencedores (Grã-Bretanha, Prússia e Holanda) ou, ao contrário, se estava sob as ordens do imperador da França.

A três anos do bicentenário da batalha, foram iniciados trabalhos de restauração do local onde ocorreu a Batalha de Waterloo com o objetivo de reforçar seu potencial turístico. No próximo sábado e domingo, será realizada uma reconstituição da batalha que acontece anualmente. Durante a cerimônia, centenas de curiosos estarão vestidos com trajes de época.

(Com Agência France-Presse)