Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Encontrado fóssil de salamandra gigante da era glacial, na Namíbia

Recém descoberto Gaiarsa jennyae era um dos principais predadores do seu tempo

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 3 jul 2024, 12h54 - Publicado em 3 jul 2024, 12h23

Por muito tempo os dinossauros dominaram a Terra, mas antes deles chegarem, uma grande variedade de animais passaram por aqui. Um deles, semelhante a uma salamandra gigante, foi um dos principais predadores do seu tempo, ainda no final de uma longa era glacial. 

A descoberta do fóssil deste animal foi anunciada nesta quarta-feira, 03, na Nature, e chamou a atenção dos pesquisadores. “Quando encontramos esta enorme espécime aflorando de uma concreção gigante, foi realmente chocante”, disse a autora do artigo e pesquisadora da Universidade de Buenos Aires, Claudia Marsicano, em comunicado. “Eu sabia, só de ver, que era algo completamente diferente.”

Que animal era esse?

O fóssil, que pertence ao Gaiarsa jennyae, espécie que viveu há 288 milhões de anos, foi encontrado na Namíbia. Naquela época, a região se localizava no extremo sul da Gondwana, próximo à Antártica. 

FÓSSIL - Salamandra gigante: animal tinha até 2,5 metros
FÓSSIL – Salamandra gigante: animal tinha até 2,5 metros (Roger M.H. Smith/Divulgação)

De acordo com os autores, o animal de cerca de 2,5 metros era um grande predador daquele período. “O Gaiarsa jennyae era consideravelmente maior que uma pessoa e provavelmente ficava perto do fundo de pântanos e lagos”, explica Jason Pardo, coautor do estudo e pesquisador de pós-doutorado do Museu de Campo de Chicado. “Ele tem uma cabeça grande e plana em formato de assento de vaso sanitário, que lhe permite abrir a boca e sugar a presa. Toda a frente da boca são apenas dentes gigantes.”

O artigo ainda sugere que o animal era bem disseminado pela região, já que eles encontraram fósseis de diversos indivíduos diferentes, um deles com crânio e espinha dorsal bastante preservados. 

Como a descoberta impacta a paleontologia?

De acordo com os paleontólogos esse é um achado importante, por revelar detalhes do desenvolvimento dos tetrápodes, grupo de animais que dariam origem aos anfíbios, répteis, pássaros e mamíferos. Esse é um dos motivos por trás do nome escolhido para batizá-lo: Gaiarsa faz referência à região do país onde o registro histórico foi encontrado, enquanto jennyae homenageia Jennifer A. Clack, pesquisadora pioneira desse grupo de animais. 

Continua após a publicidade

Uma das primeiras consequências dessa descoberta é saber que essas espécies eram bem mais disseminadas pelo globo do que se imaginava. Por enquanto, a maioria dos fósseis foram encontrados na região mais próxima do equador, onde hoje se localizam a Europa e a América do Norte, mas o fóssil da Namíbia revela que eles também estavam presentes na região sul do supercontinente

FÓSSIL QUASE COMPLETO - Gaiasia: concreção foi descoberta na Namíbia
FÓSSIL QUASE COMPLETO – Gaiasia: concreção foi descoberta na Namíbia (C. Marsicano/Divulgação)

Além disso, o achado também revela que o desenvolvimento do grupo foi bastante diferente em áreas distintas do globo. Enquanto nas regiões que já começavam a esquentar, próximas ao equador, as espécies estavam se diferenciando em outras, nas regiões mais frias, os tetrápodes mais ancestrais resistiam. “É realmente surpreendente que Gaiasia seja tão arcaico “, diz Pardo. “Ele provavelmente tinha parentesco com organismos que foram extintos 40 milhões de anos antes.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.