Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Descoberta de novos fósseis põe em dúvida origem dos macacos do Novo Mundo

Segundo pesquisa, animais viveram na América do Sul muito tempo antes do que se pensava e podem ter tido ascendência africana

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h06 - Publicado em 5 fev 2015, 12h34

Os macacos do Novo Mundo, cuja origem sempre foi misteriosa, viveram na América do Sul milhões de anos antes do que se pensava e podem ter tido ascendência africana, segundo um estudo divulgado na quarta-feira pela revista Nature.

Esses macacos estão na ordem dos platirrinos e incluem espécies como saguis, micos, bugios, macacos-aranha e macacos-barrigudos. Antes da pesquisa, seus registros fósseis mais antigos, de 26 milhões de anos, haviam sido encontrados na região onde atualmente fica a Bolívia. No novo estudo, os cientistas encontraram na Amazônia peruana dentes fósseis que aparentemente são 10 milhões de anos mais antigos do que se imaginava e que pertencem a uma nova espécie de primatas pequenos, denominada Perupithecus Ucayaliensis.

Leia também:

Cientistas ensinam macacos a se reconhecerem no espelho

Cientistas criam primeiros macacos geneticamente modificados

Os exemplares descritos no estudo têm dentes parecidos com os dos primatas africanos do período Eoceno, segunda época da era Cenozoica, entre cerca de 55 milhões de anos e 36 milhões de anos atrás. Os dentes encontrados não apresentam muitas semelhanças com os dos primatas sul-americanos, extintos ou não. A descoberta sugere que esses símios sul-americanos se originaram na África, mas os pesquisadores afirmaram que mais amostras são necessárias para que essa hipótese seja confirmada.

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade