Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

De olho em viagem a Marte, Nasa lança missão com astronautas gêmeos

A partir desta sexta-feira, cientistas da agência vão comparar os efeitos na longa permanência no espaço em humanos; para efeito de comparação, irmão gêmeo de um dos astronautas será monitorado na Terra

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h05 - Publicado em 27 mar 2015, 14h33

Uma missão espacial inédita terá início a partir desta sexta-feira, quando o astronauta americano Scott Kelly e o cosmonauta russo Mickail Kornienko forem enviados à Estação Espacial Internacional (ISS). A dupla passará quase um ano a bordo da estação, o dobro do que a maioria dos astronautas permanece por lá. Nunca um humano viveu tanto tempo seguido na ISS.

Por 342 dias, Kelly e Kornienko serão submetidos a estudos para saber como o corpo humano reage e se adapta, física e mentalmente, a tanto tempo no ambiente espacial. O objetivo dos cientistas é usar as informações para tentar reduzir os riscos de missões espaciais longas a um asteroide e a Marte.

A parte mais curiosa da missão é que ela inclui, na Terra, o irmão gêmeo idêntico de Scott Kelly, o astronauta aposentado Mark. Como os irmãos têm o mesmo material genético, a Nasa, responsável pela missão, poderá comparar os dados genômicos, psicológicos e moleculares de Scott com os de Mark. As diferenças podem revelar como o organismo lida com ambientes extremos.

Leia também:

Nasa amplia até 2024 vida útil da Estação Espacial Internacional

Continua após a publicidade

Astronauta relata momentos de terror que viveu durante caminhada espacial realizada em julho

Há décadas a Nasa e a Roscosmos, agência espacial russa, estudam os efeitos do espaço sobre o corpo humano. O estudo com os gêmeos idênticos é, entretanto, o primeiro da era genômica. “Esta pesquisa representa o perfil molecular mais abrangente já feito em humanos”, disse à revista Nature Christopher Mason, geneticista da Faculdade de Medicina Weill Cornell, nos Estados Unidos. “E ainda foi feito em gêmeos.”

Antes, durante e depois da missão no espaço, os irmãos Kelly serão submetidos a testes físicos e cognitivos. “A gravidade zero, a radiação, o isolamento e o confinamento são alguns dos fatores que podem afetar um viajante especial”, diz o cientista da Nasa Craig Kundrot. Mark participará de seis experimentos, e Scott, de onze, para avaliar fatores como a redistribuição dos fluidos corporais na microgravidade e as alterações nas células sanguíneas e no sistema imune.

Longa duração – Não é a primeira vez que um humano fica tanto tempo em órbita. Em 1986 e 1995, cosmonautas russos passaram mais de um ano a bordo da antiga estação espacial MIR. “Mas eles não fizeram [na época] tantas pesquisas como fazemos hoje”, disse Daniel Huot, relações públicas da Nasa, ao site Mic. “Os dois lá em cima vão participar de centenas de experimentos diferentes.”

(Da redação)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)