Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Contato com povos da Itália pode ter originado produção de vinho na França

Segundo estudo, recipientes etruscos contendo vinho chegavam à costa francesa desde o final do século VII a.C.

A França é o principal produtor de vinho da atualidade, além de ser o segundo maior consumidor da bebida, atrás apenas dos Estados Unidos. Pouco se sabe, porém, sobre como a cultura do vinho chegou ao país. Um estudo recente, que levou em conta análises químicas e dados arqueológicos, sugere que a vinicultura francesa pode ter sido impulsionada pelo contato com o vinho trazido da Itália (segundo maior produtor do mundo), durante o século V a. C.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Beginning of viniculture in France

Onde foi divulgada: periódico PNAS

Quem fez: Patrick E. McGovern, Benjamin P. Luley, Nuria Rovira, Armen Mirzoian, Michael P. Callahan, Karen E. Smith, Gretchen R. Hall, Theodore Davidson e Joshua M. Henkin

Instituição: Universidade da Pensilvânia, EUA; Universidade Paul Valéry (Montpellier III), França; e outras instituições

Resultado: De acordo com os autores, a chegada de vinho dos povos etruscos à França desde o final do século VII a.C. possibilitou o desenvolvimento de uma produção local de vinho na região, por volta do século V a.C..

A equipe de pesquisadores, liderada por Patrick McGovern, da Universidade da Pensilvânia, analisou diversos artefatos relacionados à produção, armazenamento e consumo de vinho encontrados nas ruínas da antiga cidade portuária de Lattara, no Sul da França. Dentre os objetos, estão ânforas (recipientes de barro com gargalo estreito e duas asas, que serviam para conservar o vinho) dos etruscos, povo que vivia na Península Itálica, e a mais antiga prensa de vinho conhecida da França (instrumento usado para extrair suco das uvas amassadas durante a produção do vinho).

Michel Py, © l’Unité de Fouilles et de Recherches Archéologiques de Lattes

Plataforma para extrair suco das uvas durante a proparação do vinho, encontrada em Lattara

Plataforma para extrair suco das uvas durante a proparação do vinho, encontrada em Lattara (/)

Plataforma para extrair suco das uvas durante a preparação do vinho, encontrada em Lattara

Segundo o estudo, publicado nesta segunda-feira no PNAS, periódico da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, ânforas etruscas contendo vinho já chegavam à costa francesa desde o final do século VII a.C. Os pesquisadores analisaram o ácido tartárico, substância presente no vinho feito com uvas da Eurásia (Vitis vinifera, tipo de uva mais utilizado para produção de vinho na Europa), encontrado nas ânforas que chegavam aos portos franceses, especialmente na cidade de Lattara, evidência de que o vinho era levado pelos etruscos para a França.

Além dos utensílios, o estudo leva em consideração sementes, caules e cascas de uva encontradas nas proximidades da prensa. Para os autores, a importância do vinho etrusco na região teria levado a um período em que as uvas eram importadas e o vinho, produzido localmente. Com o passar do tempo e a transferência de conhecimento dos etruscos para os celtas, nativos daquela região da França, eles teriam começado a plantar as uvas para produzir o vinho.

Os pesquisadores encontraram ainda evidências de que ervas (como alecrim, tomilho e manjericão) e resinas de pinheiro eram adicionadas ao vinho, revelando um caráter medicinal da bebida.

“De acordo com as evidências apresentadas aqui [no estudo] nós podemos afirmar que a produção local de vinho ocorria na França mediterrânea durante o século V a. C., e que as bases para esse desenvolvimento crucial foram precedidas pelo comércio de ânforas de vinho etruscas, povo que já tinha a produção de vinho bem consolidada”, escrevem os autores.

A evidência física mais antiga da produção de vinho foi encontrada em Hajji Firuz Tepe, uma aldeia neolítica nas montanhas de Zagros, no Irã, e data de 5.400 a.C.. De acordo com Tom Standage, jornalista e escritor britânico, autor do livro História do Mundo em 6 copos (Zahar, 2005, 239 páginas), o vinho teria surgido de tentativas de armazenar uvas ou suco de uvas por longos períodos em recipientes de cerâmica.

Leia também: ‘Fábrica’ de vinho de 6.100 anos é descoberta na Armênia