Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Concorrência melhora desempenho sexual da mosca-da-fruta

Pesquisa descobriu que insetos do sexo masculino, quando próximos de outros machos rivais, tendem a copular por mais tempo e gerar mais descendentes

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h42 - Publicado em 22 mar 2012, 13h20

O convívio com rivais faz o macho da mosca-da-fruta copular por mais tempo com sua parceira e gerar maior número de descendentes. A conclusão é de uma pesquisa da Universidade da Ânglia Oriental, na Inglaterra, publicada nesta terça-feira na Proceedings of the Royal Society B. Os cientistas estudaram como o ambiente social altera o comportamento sexual de drosófilas (Drosophila melanogaster) do sexo masculino.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Individual plastic responses by males to rivals reveal mismatches between behaviour and fitness outcomes

Onde foi divulgada: revista Proceedings of the Royal Society B

Quem fez: Amanda Bretman, James D. Westmancoat, Matthew J. G. Gage e Tracey Chapman

Continua após a publicidade

Instituição: Universidade da Ânglia Oriental, Inglaterra

Resultado: Moscas drosófilas do sexo masculino tendem a copular por mais tempo quando expostas a ambientes competitivos.

Os pesquisadores descobriram que machos que acasalam logo após o contato com rivais são mais bem-sucedidos na procriação. “Nós concluímos que o comportamento das moscas do sexo masculino é notadamente sofisticado e muda constantemente de acordo com a quantidade de competição masculina em seu ambiente”, diz Tracey Chapman, líder do estudo.

“Os machos expostos a outros machos antes do sexo se reproduziram com mais sucesso. É difícil generalizar essa relação e estendê-la a outras espécies, mas nosso estudo fornece informações úteis sobre como o ambiente social em que um indivíduo vive pode afetar seu sucesso como procriador”, explica Chapman.

Os cientistas acreditam que essas mudanças de comportamento acontecem porque os machos precisam se esforçar mais durante a cópula quando enfrentam concorrência, já que é maior a chance de que sua parceira volte a acasalar com outro macho. Na ausência de rivais, a mosca do sexo masculino não precisa se esforçar e poupa seus recursos para cópulas futuras. A descoberta pode ser útil para pesquisas na área da agricultura, como o controle biológico de pragas.

Pesquisa recente da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, já havia estudado o comportamento sexual de moscas da mesma espécie e do mesmo sexo, comprovando que as interações sociais, como o acasalamento, estão entre as experiências mais gratificantes para esses insetos. O estudo demonstrou que as drosófilas macho, quando rejeitadas por suas fêmeas, tentam compensar a falta de sexo com álcool.

Continua após a publicidade

Publicidade