Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Colonização de Marte: Nasa testa ‘barraca inflável’ para futuras viagens ao planeta

O protótipo de uma cápsula flexível que deve abrigar tripulantes das futuras viagens até Marte será enviado ao espaço nessa sexta pelo Falcon 9, foguete da SpaceX

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 15h57 - Publicado em 8 abr 2016, 15h49

Um tipo de “barraca inflável” que, no futuro, deverá abrigar os passageiros das viagens à Marte será enviado nessa sexta-feira à Estação Espacial Internacional (ISS). Durante dois anos, a Nasa vai testar o protótipo para verificar como as cápsulas leves de tecido, chamadas Módulo Expansível de Atividade Bigelow (Beam, na sigla em inglês), se comparam às habitações orbitais tradicionais feitas de metal. A agência espacial americana que saber se essas cápsulas infláveis poderiam servir como moradia para tripulações durante as longas viagens de cerca de três anos de ida e volta para Marte.

Leia também:

Cápsula com 3 toneladas de suprimentos é lançada para a ISS – e será incendiada

Foguete russo tripulado chega com sucesso à ISS

O habitat (é assim que a Nasa se refere ao módulo), fabricado pela empresa Bigelow Aerospace, dos Estados Unidos, foi colocado dentro de uma cápsula (Dragon) que deve decolar no fim do dia, a bordo do foguete Falcon 9, da SpaceX, na Estação da Força Aérea em Cabo Canaveral, na Flórida. Cerca de uma semana depois de o veículo de entrega chegar à ISS, controladores na Terra usarão um braço robótico para retirar o módulo, de 1.400 quilos, do compartimento de carga da cápsula e acoplá-lo a um porto de atracação.

Aproximadamente um mês depois, os astronautas irão inflar a estrutura Beam com ar pressurizado, aumentando seu volume até que atinja o tamanho aproximado de um pequeno quarto de dormir. O período de teste do módulo, que é feito com camadas de tecido e coberto com um material flexível que lembra o Kevlar (fibra sintética leve e resistente), tem como objetivo determinar quão bem ele suporta as variações de temperatura e o ambiente de alta radiação do espaço.

SpaceX – Após entregar o módulo, o foguete Falcon 9 deve tentar retornar à Terra e pousar em uma plataforma ocêanica, operação que, se bem sucedida, seria mais um passo para tornar mais baratas as futuras viagens espaciais com a reutilização do foguete.

Esse voo marca a quarta missão da empresa do bilionário Elon Musk, desde que a falha de um foguete em junho do ano passado causou a destruição de um módulo de carga a bordo de uma missão de reabastecimento que rumava para a ISS. Quatro tentativas anteriores fracassaram, embora um Falcon 9 tenha feito um pouso bem-sucedido no solo em dezembro, um marco fundamental nos esforços da SpaceX para desenvolver um foguete reutilizável.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês