Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Cientistas se unem para revelar genes da ‘E. coli’

Primeiras descobertas foram anunciadas durante conferência

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 17h01 - Publicado em 5 set 2011, 13h24

Dez variantes da bactéria Escherechia coli, que provocou dezenas de mortes e deixou milhares de pessoas doentes este ano na Alemanha e em 15 outros países da Europa, tiveram seus genes sequenciados em laboratórios ao redor do mundo. O anúncio foi feito em uma conferência de microbiologia na Grã-Bretanha.

Saiba mais

  1. Escherechia coli (E. coli) – bactéria encontrada em grandes quantidades no sistema digestivo dos seres humanos, vacas e outros mamíferos. Em vários países, a bactéria já foi responsável por grande número de focos de contaminação. Na maioria dos casos, a doença provoca problemas não-letais no estômago. No entanto, a E. coli entero-hemorrágica (ECEH) provoca sintomas mais graves, que vão desde diarreia sanguinolenta à síndrome hemolítica-urêmica.
  2. Síndrome hemolítica-urêmica – uma complicação grave causada pela toxina produzida pela E. coli que afeta o sangue e os rins.

O sequenciamento começou em junho, em um laboratório chinês. A sequência foi distribuída para que outros laboratórios pudessem estudá-la. Isso tornou possível identificar que genes especificamente provocam a síndrome hemolítica-urêmica (SHU) e a diarreia sanguinolenta causadas pela E. coli O104:H4.

“Descobrimos que a cepa de E. coli responsável pelo surto na Alemanha carrega uma grande quantidade de genes envolvidos com a doença. São genes que têm relação direta com a capacidade da bactéria de ser resistente aos antibióticos”, disse Lisa Crossman, chefe do projeto Genoma Microbiano do Centro de Análises do Genoma em Norwich, na Grã-Bretanha.

Pesquisadores também descobriram que a cepa que causou a epidemia está proximamente relacionada com a uma variante da E. coli isolada na África Central há alguns anos, responsável por casos graves de diarreia. “A E. coli O104:H4 causadora da epidemia ficou mais perigosa após ganhar, a partir de um vírus capaz de infectar bactérias, a habilidade de produzir uma toxina”, afirmou Lisa.

Segundo ela, saber quais são os genes que produzem resistência a antibióticos são importantes para evitar, no futuro, surtos semelhantes ao que houve na Alemanha.”

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)