Clique e assine a partir de 8,90/mês

Cientistas indicam que rotação de Vênus está mais lenta

Dia venusiano perdeu seis minutos por causa do movimento da atmosfera

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h45 - Publicado em 29 fev 2012, 15h38

A rotação do planeta Vênus ficou mais vagarosa, revela um estudo realizado na França. O dia venusiano ganhou mais de seis minutos. O desvio parece ser pequeno porque a duração do dia em Vênus equivale a 243 dias terrestres. “Mas este desvio é importante em escala astronômica”, explicou Pierre Drossart, diretor do Laboratório de Estudos Espaciais e de Instrumentação em Astrofísica, vinculado ao Centro Nacional de Pesquisas Científicas francês e ao Observatório de Paris, que analisou os últimos dados fornecidos pela sonda europeia Venus Express.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Rotation period of Venus estimated from Venus Express VIRTIS images and Magellan altimetry

Onde foi divulgada: revista International Journal of Solar System Studies – ICARUS

Quem fez: Mueller, N. T.; Helbert, J.; Erard, S.; Piccioni, G.; Drossart, P.

Instituição: Institut für Planetologie, Westfälische Wilhelms-Universität Münster

Continua após a publicidade

Resultado: Comparando dados de 1990 da sonda americana Magalhães e de 2006 da sonda europeia Venus Express, a pesquisa descobriu que houve um desvio de seis minutos no dia venusiano entre 1990 e 2006. O desvio ocorreu por causa da espessa atmosfera do planeta.

A sonda recentemente mapeou a superfície do solo venusiano e os cientistas tiveram uma surpresa. Eles descobriram um desvio entre seus mapas e aqueles feitos nos anos 1990 pelo satélite americano Magellan (Magalhães), com diferenças que podiam chegar a 20 quilômetros em alguns trechos. “Descartadas as diversas fontes de erro, a interpretação desta diferença é que a própria duração do dia mudou no curso dos últimos dezesseis anos”, um desvio avaliado em 6,5 minutos terrestres por dia venusiano, explicou o Observatório de Paris em um comunicado.

A razão mais provável para esta variação tem a ver com a interação entre a superfície e a atmosfera de Vênus. Embora se assemelhe ao nosso planeta por sua massa e tamanho, o planeta vizinho tem uma atmosfera muito mais densa, cujo atrito pode modificar sua rotação em função dos ventos e das temperaturas. “É como quando o patinador põe os braços ao longo do corpo e começa a girar mais rápido”, disse Drossart. “Quando a atmosfera se modifica por questões meteorológicas, por exemplo, pode haver uma pequena variação, por compensação, da rotação do planeta”, explicou.

Em Vênus, onde a atmosfera gira muito mais rápido do que a superfície, o atritos e o deslocamento que ela provoca seriam, portanto, muito marcados. “Isto também é verdade para a Terra, mas aqui os desvios são da ordem de alguns décimos de segundo”, destacou Drossart. Isto significaria que a médio ou longo prazo Vênus poderá parar de girar ou até passar a girar no sentido contrário?

“É difícil dizer com apenas dois pontos de medição, mas os modelos teóricos levam a crer que se trata de variações cíclicas. Se a atmosfera acelera, o planeta fica mais lento e vice-versa”, explicou Drossart.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade