Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cientistas desvendam morte em massa em serpentários

Equipe atribui a uma nova classe de vírus doença que afeta jiboias e pítons, causando estranhas mudanças de comportamento e levando por fim à morte

Pesquisadores anunciaram a descoberta do vírus por trás da Doença do Corpúsculo de Inclusão Viral (IBD, na sigla em inglês), que ataca jiboias e pítons, causando mudanças bizarras de comportamento e levando por fim à morte. Eles foram chamados para investigar um surto da doença no Aquário Steinhart, na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, onde descobriram o novo tipo de vírus. O estudo, publicado na revista online mBio, afirma que se trata de uma nova classe de vírus.

O primeiro sintoma que as cobras apresentam ao contrair a doença é a regurgitação, mas com o tempo elas acabam apresentando problema neurológicos mais sérios. “Alguns dos sintomas são bem bizarros – elas ficam olhando para o alto por longos períodos de tempo, parecem bêbadas e fazem nós com seu próprio corpo e não conseguem mais desatá-los”, diz Michael Buchmeier, professor de doenças infecciosas na Universidade da Califórnia. Entre as jiboias criadas em cativeiro, o IBD é a doença mais comum a ser causada por um vírus.

Com o tempo, a infecção acaba matando o animal. Ela costuma ser devastadora para grandes serpentários, já que pode infectar um grande número de cobras antes de ser identificada. Como ainda não existe nenhum tratamento, os animais doentes têm de ser sacrificados, antes que a o vírus se espalhe.

Pesquisa – Para fazer a descoberta, os cientistas extraíram amostras de DNA do tecido de cobras diagnosticadas com IBD. Em meio ao genoma, havia sequências que claramente pertenciam ao vírus e não ao animal infectado. Mais tarde, eles foram capazes de cultivar e isolar um desses vírus.

Segundo os pesquisadores, essa é uma grande descoberta tanto do ponto de vista prático, por permitir o desenvolvimento de novos tratamentos e vacinas, quanto para os estudos da virologia, já que o vírus pertence a uma classe desconhecida até então. “O fato de termos aparentemente identificado toda uma nova linhagem é um dos eventos mais excitantes que aconteceu na virologia em muito tempo” afirma Buchmeier. Esta nova linhagem pertence a um tipo de vírus conhecido como arenavírus, até hoje só encontrado em mamíferos.

Saiba mais:

Crustáceo descoberto no Caribe recebe nome em homenagem a Bob Marley

Quase humanos