Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Cientistas criam material de carbono tão resistente quanto o diamante

Descoberta pode abrir caminho para a fabricação de uma nova classe de materiais ultradensos e superresistentes

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h57 - Publicado em 12 out 2011, 12h27

Cientistas descobriram uma nova forma de carbono capaz de suportar pressões tão altas quanto o diamante. A pesquisa, feita na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, pode levar à criação de materiais ultrarresistentes e mais baratos. O estudo foi publicado no periódico Physical Review Letters.

Saiba mais

CARBONO

O carbono é o quarto elemento mais abundante no universo. Ele assume vários formas, incluindo o grafite e o diamante.

ALÓTROPOS

A alotropia é um fenômeno em que um mesmo elemento químico pode se transformar em várias substâncias – chamadas alótropos. Exemplos de alótropos de carbono são o grafite e o diamante. O oxigênio, por sua vez, tem alótropos na forma de ozônio e gás oxigênio.

Continua após a publicidade

A equipe de cientistas liderada por Wendy Mao iniciou a pesquisa com uma forma de carbono conhecida como carbono vítreo, sintetizado pela primeira vez na década de 1950. Na ocasião, os químicos descobriram que o material combina propriedades do vidro, cerâmica e grafite. Os pesquisadores de Stanford criaram o novo alótropo ao comprimir o carbono vítreo a 400.000 vezes a pressão atmosférica normal.

O novo material foi capaz de suportar 1,3 milhão de vezes a pressão atmosférica normal. Nenhuma substância além do diamante consegue suportar níveis de pressão semelhantes.

A contrário do diamante e do grafite, a estrutura do novo alótropo não é cristalina: trata-se de um material amorfo, ou seja, que não é organizado em unidades repetidas de átomos de carbono. Mas isso pode ser uma vantagem, uma vez que a resistência de estruturas cristalinas, como o diamante, varia conforme o arranjo dos cristais e a direção em que a pressão é exercida.

“A descoberta abre possibilidade para a criação de bigornas muito duras para pesquisa de alta pressão e uma nova classe de materiais muito resistentes e ultradensos”, disse Russell Hemley, diretor do laboratório onde o material foi criado.

Continua após a publicidade

Publicidade