Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Cientistas condecorados por Bolsonaro devolvem títulos

Vinte e um cientistas homenageados com a Ordem do Mérito Científico recusaram a comenda depois que dois nomes foram retirados pelo Planalto

Por Ricardo Ferraz Atualizado em 6 nov 2021, 18h34 - Publicado em 6 nov 2021, 18h32

Vinte e um cientistas condecorados com a Ordem do Mérito Científico pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiram recusar a homenagem em uma ação coletiva. Por meio de uma carta assinada por todas as pessoas que receberiam a honraria, eles afirmaram que a decisão ocorreu após o presidente assinar um novo decreto, no dia 5 de novembro, excluindo os nomes de Adele Benzaken e Marcus Lacerda.

Lacerda foi um dos primeiros pesquisadores a demonstrar que cloroquina é ineficaz no tratamento contra a Covid-19. Já Benzaken desagradou o Palácio do Planalto após publicar uma cartilha destinada a homens trans, durante a época em que ocupava o cargo de diretora do departamento de HIV/Aids do Ministério da Saúde. 

A condecoração de cientistas pelo governo é cercada de controvérsias. Na última quinta-feira, o presidente concedeu a si próprio o título de Grão Mestre da Ordem Nacional do Mérito Científico, apesar de ter dado inúmeras declarações contra a vacinação e de ter mantido uma postura negacionista em relação a pandemia, se recusando, por exemplo, a usar máscaras em ambientes públicos. Na sexta-feira, o epidemiologista Cesar Victora, que está entre os que renunciam à homenagem , já havia recusado o título de grão-Cruz com o qual seria agraciado. 

O regulamento da Ordem Nacional do Mérito Científico prevê a concessão da homenagem por parte do presidente da República para personalidades que se distinguem por suas contribuições à Ciência, à Tecnologia e à Inovação. 

Continua após a publicidade

Publicidade