Clique e assine a partir de 8,90/mês

Cientistas britânicos querem reconstruir genoma do rei Ricardo III

Projeto pode ser o primeiro a reproduzir sequência genômica de uma personalidade histórica

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h14 - Publicado em 12 fev 2014, 16h05

Cientistas britânicos anunciaram a intenção de reconstruir a sequência completa do genoma do rei Ricardo III, cujos restos foram encontrados enterrados debaixo de um estacionamento em 2012. A geneticista Turi King dirigirá o projeto, que tem um orçamento de 100 000 libras (400 000 reais) e o objetivo de reproduzir a primeira sequência de genoma a partir do DNA de uma personalidade histórica.

Leia também:

Esqueleto encontrado em Leicester é do rei Ricardo III

Esqueleto de Ricardo III reacende debate sobre aparência e personalidade do monarca

Caixão encontrado no local onde o esqueleto de Ricardo III foi descoberto

Continua após a publicidade

Pesquisadores da USP planejam exumar restos mortais de Dom Pedro II

Exumação inédita de Dom Pedro I e suas mulheres permite confrontar registros históricos

O projeto terá duração de aproximadamente um ano. A partir do DNA extraído dos ossos de Ricardo III, será possível tirar conclusões sobre a cor dos cabelos e dos olhos do rei, um tema controvertido, assim como determinar se sua escoliose (desvio da coluna vertebral) era de origem genética.

O esqueleto de Ricardo III foi encontrado em agosto de 2012 durante a construção de um estacionamento em Leicester, no centro da Inglaterra. Último monarca da casa York, Ricardo III morreu em 1485, na batalha de Bosworth, perto de Leicester, e foi enterrado anonimamente em um mosteiro franciscano, demolido em 1530. Apesar do reinado curto – ele governou entre 1483 e 1485 -, Ricardo III se tornou um dos reis mais famosos e controversos da história do país. O monarca foi imortalizado por William Shakespeare na peça Ricardo III, em que é descrito como um vilão disposto a tudo pelo poder.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade