Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Chá verde pode melhorar memória de curto prazo

Análises de ressonância magnética mostraram um aumento nas conexões cerebrais dos participantes após consumirem o extrato da bebida

Por Da Redação - Atualizado em 6 maio 2016, 16h13 - Publicado em 8 abr 2014, 17h55

Pesquisadores suíços encontraram evidências de mais um efeito benéfico para a saúde proporcionado pelo chá verde. Eles descobriram que a bebida pode ajudar a melhorar funções cognitivas, principalmente a memória de curto prazo. Os resultados sugerem que uma aplicação clínica pode ser possível no tratamento de doenças que afetam a cognição, como a demência. O artigo foi publicado na edição de março do periódico Psychopharmacology.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Green tea extract enhances parieto-frontal connectivity during working memory processing

Onde foi divulgada: periódico Psychopharmacology

Publicidade

Quem fez: André Schmidt, Felix Hammann, Bettina Wölnerhanssen, Anne Christin Meyer-Gerspach, Jürgen Drewe, Christoph Beglinger e Stefan Borgwardt

Instituição: Universidade de Basileia, Suíça, e outras

Resultado: Os pesquisadores encontraram evidências de que o chá verde pode ajudar a melhorar a memória de curto-prazo, criando mais conexões entre as regiões do cérebro.

Os principais componentes do chá verde já foram estudados em pesquisas sobre câncer, mas recentemente cientistas têm procurado entender seu impacto sobre o cérebro. Algumas pesquisas encontraram efeitos positivos no desempenho cognitivo, porém o mecanismo neural por trás dessa melhora ainda não havia sido identificado.

Publicidade

No novo estudo, os pesquisadores descobriram que o extrato de chá verde aumenta a conectividade do cérebro, ou seja, a influência que uma área do cérebro é capaz de exercer sobre a outra. Esse efeito levoa a uma melhora na cognição: as pessoas que foram testadas no estudo se saíram melhor na realização tarefas relacionadas à memória de curto prazo após ingerir o extrato do chá.

Análises feitas com ressonância magnética nos participantes durante a resolução dos testes mostraram que a conectividade era maior entre o córtex parietal e frontal do cérebro.

“Nossos resultados sugerem que o chá verde pode aumentar a plasticidade cerebral [a capacidade que o cérebro tem em se remodelar em função das experiências do sujeito]”, afirma Stefan Borgwardt, professor de psiquiatria e um dos autores do estudo.

Leia também:

Publicidade

Pesquisa comprova que chá verde é aliado contra obesidade

Substâncias do chá verde e do vinho tinto podem barrar o Alzheimer

Publicidade