Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casa Branca defende medidas urgentes para combater mudança climática

Relatório divulgado pelo governo americano nesta terça-feira alerta para os riscos de secas, queimadas e ondas de calor

Secas, queimadas, ondas de calor e desaparecimento de florestas são uma realidade em todo o território dos Estados Unidos e, para impedir que esses efeitos da mudança climática se intensifiquem, é necessário tomar medidas urgentes. Essa é a conclusão de um relatório publicado pela Casa Branca nesta terça-feira, resultado de quatro anos de estudos feitos por cientistas. O documento, de 840 páginas, aponta vários efeitos do fenômeno climático, desde ecossistemas alterados até setores inteiros da economia forçados a uma adaptação.

“A mudança climática, considerada uma questão para um futuro distante, chegou ao presente”, afirma o relatório, que também adverte que a situação é resultado da ação humana, com impactos cada vez maiores no país. O texto reúne dados publicados anteriormente sobre o aumento da concentração de gases do efeito estufa na atmosfera, a elevação do nível dos oceanos e a intensidade cada vez maior dos fenômenos meteorológicos.

De acordo com os cálculos dos cientistas, a temperatura média nos Estados Unidos aumentou 1,1 grau Celsius (2 graus Fahrenheit) desde 1895, e mais de 80% da elevação ocorreu após 1980. A última década foi a mais quente do país. Se medidas firmes não forem adotadas, a longo prazo, áreas de baixa altitude como a Flórida ou o delta do Mississipi, na Louisiana, serão alagadas, diz o relatório. “Esse documento é o alarme mais forte e claro apontando para a necessidade de ações urgentes para combater as ameaças da mudança climática aos americanos”, afirmou John Holdren, conselheiro científico do presidente Barack Obama.

Leia também:

Mudança climática pode aumentar pobreza, alerta ONU

A agenda de mudança climática está quente

Recorde de calor – Na região sudeste do país, se as condições climáticas atuais forem mantidas, a área ficará ainda mais seca e quente – o que pode significar incêndios florestais e dificuldades de acesso à água. No Alasca, onde a temperatura aumenta duas vezes mais rapidamente que em outras áreas do país, haverá mudanças drásticas nos ecossistemas, causadas pelo derretimento de geleiras. Em regiões costeiras, o aumento do nível da água e de ciclones tropicais podem levar a perdas significativas na economia, como na região da Louisiana, estratégica para a produção de petróleo dos Estados Unidos. Segundo as estimativas dos cientistas, as perdas podem chegar a 7,8 bilhões de dólares em apenas um trimestre.

Promessa de campanha – O relatório faz parte dos esforços de Obama para alavancar um programa que combata o aquecimento global, atualmente paralisado no Congresso. Essa foi uma de suas grandes promessas durante a campanha presidencial de 2008, mas, após um ambicioso projeto de lei no início do primeiro mandato, o tema ficou em segundo plano por divergências políticas.