Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Do trauma de infância ao pódio: a incrível história de 5 atletas

Obstáculos enfrentados durante os primeiros anos de vida podem ajudar a moldar a resistência de atletas de ponta

Histórias de abandono e dificuldades na infância vividas por campeões olímpicos como o brasileiro Thiago Braz ou a americana Simone Biles levaram muitas pessoas a se questionar se os obstáculos enfrentados durante os primeiros anos de vida podem ajudar a moldar a resistência de atletas de ponta. Segundo Alessandra Dutra, psicóloga do Comitê Olímpico Brasileiro, esportistas vencedores têm um perfil diferenciado, que lhes permite lidar com perdas e frustrações de maneira altamente eficaz.

“O que acontece é que atletas de excelência têm uma habilidade espantosa para usar eventos do passado como fator de encorajamento – sejam eles bons ou catastróficos. Os verdadeiros campeões sabem transformar as adversidades em motivação”, afirma a psicóloga, que trabalha com a preparação mental da seleção feminina de handebol e participa de sua terceira Olimpíada.

Leia também:
Por que a ginasta Simone Biles é também um fenômeno científico
O que está por trás da dancinha do atleta do Kiribati

Dessa maneira, as grandes frustrações no passado se tornam um dos vários golpes que os jogadores devem enfrentar na sua preparação esportiva. Afinal, os atletas são confrontados, a todo momento, com a perda, com a iminência da derrota e com obstáculos que, inicialmente, parecem intransponíveis. Além disso, um esportista de excelência sabe que sua rotina será de longos e estafantes treinos que podem trazer dores, reduzir a vida social e afastá-los da família.

“Perdas familiares irreparáveis durante infância são uma das muitas lições que a vida ensina aos atletas. Elas preparam o jogador para os muitos vazios que constituem a trajetória até o pódio. Campeões olímpicos sabem que as perdas e infortúnios não são o fim do caminho, mas etapas necessárias até a vitória e, por isso, conseguem superá-las com uma enorme habilidade. Os vencedores possuem uma grande persistência para enfrentar as desgraças e passar por cima delas”, afirma Katia Rubio, professora da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (USP) e uma das maiores autoridades brasileiras em psicologia do esporte.

Superar dificuldades

A incrível capacidade de resistir a adversidades e lidar com contrariedades é uma característica conhecida entre os profissionais de saúde como resiliência.

“Como todo grande profissional os campeões olímpicos sabem usar as dificuldades para ultrapassar seus próprios limites”, diz Alessandra. “Além do mais, precisamos nos lembrar de que jogadores com infância difícil são uma parcela muito pequena em meio aos quase 1.000 atletas que ganharão medalhas em Olimpíadas.”

Confira a história de 5 atletas que superaram a infância difícil e chegaram ao pódio: