Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Camaleão tem saliva 400 vezes mais pegajosa que a humana

A língua do camaleão é suficientemente poderosa para garantir que o animal "agarre" insetos de até 30% o seu próprio peso

Por Da redação 21 jun 2016, 15h06

Cientistas descobriram que a saliva do camaleão é 400 vezes mais pegajosa que a humana, o que lhe confere a habilidade de “segurar” o alimento na língua antes de devorá-lo. De acordo com estudo publicado nesta semana pela revista especializada Nature Physics, da editora Nature, o campeão do disfarce, da observação e da projeção da língua, ainda conta com a saliva pegajosa como recurso para caça. 

O camaleão é um predador considerado “oportunista”, pois não corre atrás dos insetos como outros lagartos – ele se esconde, e espera. Disfarçado de pedra ou de galho, observa ao seu redor sem se mover graças a seus olhos independentes: um olho pode espiar a presa que está à frente, enquanto o outro vigia a que está atrás. Quando uma mosca, mariposa ou aranha é detectada ao seu alcance, o camaleão projeta sua língua a uma distância que pode alcançar até duas vezes o comprimento de seu corpo. Tudo com uma fenomenal velocidade.

Leia também:
Genoma de lagarto pode explicar parte da evolução dos vertebrados
Menores camaleões do mundo são encontrados em Madagascar

Graças à língua versátil e a forma de lançá-la, o animal atordoa a presa. Mas como o camaleão era capaz de segurar a presa na língua e trazê-la à boca ainda era um questionamento profundo entre os especialistas. Segundo alguns pesquisadores, a capacidade de “grudar” se dava por aspiração, enquanto para outros esse era um mecanismo vinculado às rugosidades da superfície da língua, funcionando como um velcro, ou da presença de uma ventosa muscular na ponta da língua.

Aspirador, velcro ou ventosa? – Para responder à pergunta que “tirava o sono” de biólogos por anos (e que não contava com nenhum tipo de pesquisa), Pascal Damman, da Universidade de Mons na Bélgica, e seus colaboradores resolveram estudar o fluido retirado da ponta da língua de um camaleão. Para solucionar o enigma, os especialistas colocaram a saliva pegajosa na parte inferior de uma superfície inclinada; ao rolar uma pequena esfera na superfície, os pesquisadores identificaram que a saliva foi capaz de interromper a rolagem da esfera, superando a aceleração.

O resultado foi conclusivo: de forma simples, a aderência viscosa da saliva do camaleão é capaz de superar a gravidade. Assim, a língua é suficientemente poderosa para garantir que o camaleão a “grude” em insetos de até 30% o seu próprio peso. “Tivemos a surpresa de constatar que a viscosidade deste fluido é muito próxima a do muco utilizado pelos caracóis para deslocarem-se”, explicou Pascal Damman.

Os pesquisadores descobriram ainda que, quanto mais forte e rápido o animal projeta sua língua, maior a sua adesão. Quando a presa chegar à boca, as forças que ajudaram a provocar sua aderência deixam de ser exercidas, permitindo ao camaleão deglutir os insetos sem morder a língua. De acordo com Damman, o estudo pode abrir novas perspectivas biológicas para estudar outros animais com características similares, como os sapos ou salamandras.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade