Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Cadernos de Darwin, avaliados em milhões, estão desaparecidos

Recheados de desenhos e anotações históricas, eles foram perdidos há cerca de vinte anos

Por Sabrina Brito 24 nov 2020, 13h08

A biblioteca da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, anunciou que cadernos cheios de desenhos e anotações de Charles Darwin estão desaparecidos há vinte anos. Avaliados em milhões de libras, eles contém esboços importantíssimos, levando a universidade a lançar um apelo ao público para tentar encontrá-los.

Depois de procurar pelos cadernos de forma exaustiva sem sucesso, os curadores da biblioteca concluíram que muito provavelmente eles haviam sido roubados da biblioteca. A última vez em que os manuscritos foram vistos foi em 2000, quando foram fotografados pelos bibliotecários. Levou dois meses para que se cogitasse a hipótese de seu sumiço.

Um dos desenhos mais valiosos que foram perdidos junto com os cadernos é o primeiro esboço da árvore da vida, construída por Darwin em uma tentativa de explicar a relação entre as espécies de seres vivos que habitam o planeta.

A importância dos cadernos, que permitem uma entrevisão de uma das mentes mais revolucionárias que já viveram, é indescritível. Resta esperar que os ingleses consigam ajudar Cambridge a reencontrá-los. Como consolo, ao menos ainda existem as fotografias dos desenhos tiradas em 2000.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade