Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aves voam em conjunto para economizar energia, diz estudo

Pesquisa comprovou que a formação em 'V', característica do voo de animais como gaivotas e patos, é o mecanismo perfeito para poupar esforço

Uma equipe de cientistas desvendou o segredo do voo dos pássaros em conjunto. No estudo, publicado na revista Nature na última quinta-feira, os pesquisadores liderados pelo Royal Veterinary College, da Universidade de Londres, mostram como a formação em “V” característica de aves migratórias é a estratégia ideal para poupar energia.

Para comprovar que o voo das aves é feito com sincronia, precisão e eficácia, a equipe desenvolveu sensores especiais para captar a velocidade, direção e batida das asas de catorze íbis criados em cativeiro no zoológico de Viena, na Áustria. Em ultraleves, alguns dos pesquisadores ensinaram aos pássaros a voar em conjunto e seguiram com eles em uma rota migratória da Áustria à Itália.

Leia também:

Aves primitivas voavam com quatro asas, diz estudo

Nossas aves, um voo no imaginário popular

Com os dados recebidos pelos sensores acoplados às aves durante o voo, foi possível analisar como os pássaros posicionam-se no ar em pontos específicos que favorecem o menor esforço. A ave de trás aproveita o movimento ondulatório do ar provocado pelas asas da ave da frente. Ou seja, o primeiro pássaro faz a maior parte do esforço do bando – e é por isso que os pássaros se revezam em quem toma a dianteira do voo. As asas entram em sincronia para que o bando possa voar usando o menor esforço possível. Isso seria importante para longos voos, como as migrações.

“Os complicados mecanismos envolvidos no voo de formação em ‘V’ indicam que as aves têm conhecimentos e habilidades notáveis para responder às trajetórias feitas pelas asas à frente”, afirmou Steve Portugal, pesquisador do Royal Veterinary College.

Confira o vídeo da Nature (em inglês):