Clique e assine a partir de 9,90/mês

Astronauta muçulmano terá de realizar práticas religiosas na ISS

Autoridades islâmicas de Dubai criaram uma cartilha com um cronograma de orações e horas de jejum para o primeiro astronauta dos Emirados Árabes Unidos

Por Da Redação - Atualizado em 26 set 2019, 18h09 - Publicado em 26 set 2019, 17h35
Como Hazza Al Mansouri rezará no espaço? ISS/Reprodução

Os astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) dão uma volta completa na Terra a cada 90 minutos. Isso significa que eles assistem a dezesseis nascer e pôr do Sol todos os dias. Nesse caso, como o primeiro astronauta dos Emirados Árabes Unidos, que é muçulmano e ora cinco vezes por dia, descobrirá para que lado é Meca?

O cosmonauta Hazza Al Mansouri partiu na quarta-feira 25, junto com outros dois astronautas, para a ISS, onde deve ficar por oito dias. E para conseguir cumprir os rituais de sua crença recebeu um guia, escrito por autoridades religiosas de Dubai, no qual estão as instruções para continuar com as práticas islâmicas durante a viagem.

Para responder a pergunta do início do texto, ele recebeu recomendações de seguir os horários da própria cidade de Meca, onde a revelação (a mensagem do islã) foi inspirada. Ao rezar, no entanto, deverá tentar se voltar para a Terra. No caso da posição de oração ficar difícil de ser alcançada devido os efeitos da gravidade, aí Al Mansouri ficará livre para rezar voltado para qualquer lugar.

Para purificar o corpo no ritual de ablução — lavagem das mãos, face, pescoço e pés —, o astronauta receberá água fornecida pela ISS. Mesmo assim, o guia recomenda que ele carregue consigo um grão de areia ou uma pedra, caso estes precisem ser usados como substitutos da água, na liturgia.

Continua após a publicidade

Al Mansouri não é o primeiro muçulmano a visitar a Estação Espacial Internacional. O malaio Sheikh Muszapher Shukor fez essa mesma viagem em 2007 durante o Ramadã, nono mês do calendário lunar islâmico, em que os seguidores da religião não se alimentam nem bebem no período entre o nascer e o pôr do Sol. 

Além disso, as religiões fazem parte da história humana fora da Terra desde os primeiros lançamentos. Buzz Aldrin, o segundo homem a caminhar pela Lua, é presbiteriano. Em 1969, quando fez a viagem, tomou a comunhão e leu a Bíblia, na primeira e única cerimônia religiosa feita no satélite natural da Terra até o momento. Uma mensagem do Papa Paulo VI, aliás, estava entre as muitas de líderes mundiais gravadas em um disco que foi deixado na superfície da Lua.

Publicidade