Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Arqueólogos egípcios descobrem 110 tumbas no Delta do Nilo

Os túmulos trazem restos humanos de adultos e crianças, equipamentos funerários e objetos de cerâmica

Por Da Redação 28 abr 2021, 15h44

O Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito anunciou na terça-feira, que arqueólogos desenterraram 110 tumbas na província do Delta do Nilo. Os túmulos, alguns dos quais com restos humanos de adultos e crianças, equipamentos funerários e objetos de cerâmica, foram encontrados no sítio arqueológico Koum el-Khulgan na província de Dakahlia, cerca de 150 quilômetros a nordeste do Cairo. As escavações continuam.

Os achados incluem 68 tumbas em formato oval que datam do período pré-dinástico que durou de 6.000 a 3150 a.C.. Há também 37 tumbas retangulares de uma era antiga conhecida como Segundo Período Intermediário (1782-1570 a.C.), quando o povo semítico de Hyksos governava o Egito antigo. Os cinco túmulos ovais restantes datam do período Naqada III, que durou cerca de 3200 a.C. a 3000 a.C.

Túmulos desenterrados com restos humanos, no sítio arqueológico Koum el-Khulgan, na província de Dakahlia, no Egito -
Túmulos desenterrados com restos humanos, no sítio arqueológico Koum el-Khulgan, na província de Dakahlia, no Egito – Egyptian Tourism and Antiquities Ministry/Divulgação

Ayman Ashmawy, Chefe do Setor de Antiguidades Egípcias, escreveu na página do Facebook do ministério que dentro das tumbas havia restos de adultos em posição agachada. Também foi encontrado o corpo de um bebê dentro de um vaso de cerâmica. Mustafa Waziri, Secretário-Geral do Conselho Supremo de Antiguidades, afirmou que as descobertas são “um importante acréscimo histórico e arqueológico ao local”.

Publicidade