Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Apocalipse cósmico’ deve ocorrer em 16,7 bilhões de anos

Via Láctea deverá se despedaçar 32,9 milhões de anos antes do apocalipse cósmico, cálculo foi feito por cientistas chineses

O fim do mundo não deve ocorrer em dezembro deste ano, como muitos acreditam estar previsto no calendário maia, mas daqui a 16,7 bilhões de anos, segundo cientistas chineses. A pesquisa foi publicada no periódico científico Sci China-Phys Mech Astron.

Os cientistas chegaram a essa conclusão levando em conta uma das inúmeras teorias acerca da energia escura, que compõe 70% do universo. Segundo essa teoria, a energia escura está sofrendo uma expansão de densidade tão grande que fará com que todos os objetos do universo se fragmentem – o chamado ‘Big RIP’ ou ‘Apocalipse Cósmico’.

“Isso significa que, na pior das hipóteses, o tempo restante do universo é de 16,7 bilhões de anos”, disseram os autores.

Os cientistas se basearam em uma equação que relaciona a pressão e a densidade da energia escura e calcularam em quanto tempo o universo chegaria ao fim. Se essa relação fosse menor que um (-1), a densidade da energia escura cresceria exponencialmente, fazendo com que a repulsão gravitacional desfragmentasse tudo o que existe no universo. O nível de confiança da equação é de 95,4%.

Os cálculos foram feitos por pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, do Instituto de Teorias Físicas e da Academia Chinesa de Ciência.

Mas antes do apocalipse cósmico, Via Láctea, Sistema Solar e até a órbita da Terra em torno do Sol serão atingidos.

Assim, a Via Láctea deverá se despedaçar em 32,9 milhões de anos antes do apocalipse cósmico — isso se não colidir antes com Andrômeda. O Sistema Solar perdurará por mais algum tempo, mas não vai escapar. Dois meses antes do apocalipse, a Terra será arrancada da órbita do Sol. Cinco dias antes do fim, a Lua será arrancada da Terra. O Sol será destruído 28 minutos antes do fim dos tempos, e a Terra, 16 minutos antes do colapso final.

Os cálculos estão descritos no artigo Energia Escura e o Destino do Universo.