Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ancestral do porquinho-da-índia mordia com a força de um tigre

O 'Josephoartigasia monesi', o maior roedor conhecido, pesava cerca de 1 tonelada, tinha o tamanho de um búfalo e morava nos prados do Uruguai

O maior roedor conhecido viveu há 3 milhões de anos, exibia dentes de até 30 centímetros e era capaz de morder com a força de um tigre. O Josephoartigasia monesi, ancestral do porquinho-da-índia, pesava cerca de 1 tonelada e tinha o tamanho de um búfalo. Sua descrição, publicada nesta quarta-feira no Journal of Anatomy, é o resultado da análise de um crânio encontrado no Uruguai em 2007, feita por pesquisadores britânicos e uruguaios. Mediante o estudo de suas características e análises de computador, os cientistas conseguiram descobrir detalhes sobre o animal que viveu no Plioceno (entre 2 milhões e 4 milhões de anos), como outros mamíferos de grande porte, entre eles os primeiros mamutes.

Comparação da silhueta do Josephoartigasia monesi com uma pessoa e uma pacarana, seu parente vivo mais próximo

Comparação da silhueta do Josephoartigasia monesi com uma pessoa e uma pacarana, seu parente vivo mais próximo (/)

Leia também:

Pesquisadores desvendam mistério de dinossauro de ‘mãos horrorosas’

Cobras surgiram há 170 milhões de anos, diz estudo

Longas presas – Por meio de um scanner do crânio e sua reconstrução em computador, os pesquisadores descobriram que o antigo roedor mordia com a força de 1.400 Newton, como um tigre atual, e usava seus longos dentes da mesma forma que um elefante usa suas presas. “O Josephoartigasia monesi utilizava seus incisivos para outras atividades além de morder e comer, como escavar para buscar alimentos e se defender dos predadores”, declarou o diretor do estudo, Philip Cox, anatomista na Universidade de York, na Inglaterra.

(Com Agência EFE)