Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Adora postar selfies? Você pode ser antissocial e narcisista

Pesquisa revela que homens que publicam muitas fotos de si mesmos nas redes sociais têm traços de psicopatia e auto-objetificação

Homens que postam mais fotos de si próprios do que de outras pessoas nas redes sociais podem ter traços antissociais de narcisismo e até psicopatia. Além disso, aqueles que editam as selfies antes de publicá-los online possuem maior tendência à auto-objetificação, que se refere à importância que os indivíduos dão à própria aparência.

“Não é surpreendente que homens que postam muitos selfies e gastam tempo editando as fotos são mais narcisistas, mas pela primeira vez isso foi confirmado por um estudo”, afirma Jesse Fox, líder da pesquisa e professor de comunicação da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos.

Leia também:

O fenômeno ‘selfie’ chegou ao espaço

Facebook pode intensificar narcisismo em crianças e jovens

De acordo com Fox, o resultado da pesquisa não significa que homens que adoram autorretratos são necessariamente narcisistas ou psicopatas. Os voluntários do estudo tinham comportamentos normais, exceto pelos índices acima da média dessas características antissociais.

Estudo – Participaram da pesquisa, publicada online no periódico Personality and Individual Differences, 800 homens de 18 a 40 anos. Eles responderam a um questionário sobre o hábito de postar selfies nas redes sociais e seus comportamentos. Postar autorretratos estava associado a narcisismo e psicopatia, mas a psicopatia não mostrou relação com o hábito de editar as imagens. Para o autor do estudo, isso faz sentido, porque a psicopatia é caracterizada pela impulsividade.

O comportamento de editar as fotos também esteve associado à auto-objetificação, um fenômeno ligado a distúrbios alimentares e depressão, raramente observado em homens heterossexuais. “Com o crescimento do uso das redes sociais, todo mundo está mais preocupado com a aparência. A auto-objetificação pode se tornar um problema maior, para homens e mulheres”, diz Fox.

(Da redação de VEJA.com)