Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Ações pontuais restauram biodiversidade amazônica, diz estudo

Pesquisa realizada na região colombiana produz benefícios também para os pequenos proprietários

Por Da Redação 22 dez 2022, 17h13

Restaurar a biodiversidade em áreas desmatadas da região amazônica é uma tarefa complexa, mas importante para a saúde do ecossistema e das pessoas que dele dependem. A ambientalista Karolina Argote, principal autora de um estudo publicado em outubro na revista científica Diversity, analisou uma área da Amazônia colombiana que foi desmatada há mais de 50 anos. No artigo, ela e seus colegas mostram que intervenções pequenas e cuidadosas podem ter impacto muito positivo em curto prazo.

O grupo liderado por Argote trabalhou com agricultores em áreas de pastagem de gado em Caquetá, na Colômbia. Eles conseguiram desenvolver planos para conectar a vegetação remanescente, como galerias ribeirinhas e as vestígios da floresta nativa, produzindo benefícios tanto para os pequenos proprietários quanto para a biodiversidade.

Não é possível restaurar esses ecossistemas fragmentados da noite para o dia: a restauração implica tempo e financiamento, além de um forte compromisso dos pecuaristas para restaurar esses ecossistemas. “Esse foi um trabalho acadêmico que mostrou, com estatísticas, que pequenas intervenções realmente servem para aumentar a conectividade, mas se você não planejar e não conhecer a fazenda, vai ser difícil implementar isso”, disse a ambientalista.

Argote disse que minimizar a fragmentação e melhorar a conectividade nas paisagens florestais na Amazônia é fundamental para a conservação. É necessária uma abordagem “uma árvore de cada vez” para envolver as comunidades locais e redesenhar com elas acordos de conservação para proteger os habitats naturais dentro de suas propriedades. “Não temos evidências concretas sobre se houve um aumento nos pequenos, médios e grandes mamíferos, mas podemos dizer que esse tipo de estratégia de implementação aumentou o movimento de aves, principalmente aves migratórias”, disse ela.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.