Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

A ciência de como fazer a fogueira perfeita

Estudo mostra que, desde que os homens criaram as primeiras faíscas no período Paleolítico, há 2,5 milhões de anos, sabemos fazer a melhor e mais eficaz fogueira do planeta. E isso foi fundamental para nossa evolução.

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h04 - Publicado em 8 jun 2015, 19h31

O ser humano é hábil em fazer fogueiras desde a pré-história. A conquista do fogo foi uma de nossas maiores realizações durante o período Paleolítico (entre 2,5 milhões de anos a 10 000 anos atrás) e agora os cientistas sabem por que somos tão bons com ele. Intuitivamente, criamos a mais perfeita e eficaz fogueira e reproduzimos seu formato seja dentro de churrasqueiras, em festas de São João, ou no meio do mato.

De acordo com uma pesquisa publicada nesta segunda-feira no periódico Scientific Reports, da revista Nature, existe um jeito certo de fazer uma fogueira, usado desde que nossos ancestrais descobriram o fogo. Para a melhor circulação de ar e de calor, a fogueira deve ter uma forma que conta com a base do mesmo tamanho que a altura. É basicamente uma pirâmide de madeira – ou qualquer outro material inflamável.

Leia também:

O ‘MasterChef’ símio: chimpanzés podem cozinhar, diz estudo

Hominídeos já usavam fogo há 1 milhão de anos

Pirâmide de fogo – Essa estrutura tem sido usada desde que causamos o primeiro incêndio nas florestas, segundo o autor do estudo, Adrian Bejan, da Universidade de Duke, nos Estados Unidos. Seu estudo demonstra como esse modelo deixa ainda mais fácil ter acesso ao fogo, ao calor, pela melhor circulação de ar, não importando o tamanho da fogueira.

Há, então, muita ciência por trás das, aparentemente simples, fogueiras das festas juninas. Estudos futuros do mesmo time de pesquisadores terão como foco descobrir qual o melhor objeto para se fazer a fogueira: madeira, metal, carvão, entre outros.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade