Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Votações no Congresso e arrecadação nas manchetes de 13/11/17

Projetos em andamento na Câmara e no Senado podem comprometer ajuste fiscal

Votações no Congresso e sinais de recuperação da economia estão nas manchetes dos principais jornais do país nesta segunda-feira. De acordo com o Globo, o Congresso pode legalizar o jogo para criar um fundo de combate ao crime que já existe. No Estado de S.Paulo, projetos que tramitam na Câmara e no Senado podem gerar despesas extras de pelo menos R$ 20 bilhões, e, na Folha de S.Paulo, receitas vindas de arrecadação com IPI e folha de salários mostram pequena reação.

O Globo
Congresso pode legalizar jogo para criar fundo que já existe
Embora governadores apoiem a legalização do jogo para que o Congresso crie um fundo de combate ao crime, o governo federal já destina recursos, todos os anos, ao Fundo Nacional de Segurança Pública, que teve, em 2017, um orçamento previsto de R$ 1,065 bilhão. A execução, porém, foi de apenas 17,3%. 

O Estado de S.Paulo
Pauta-bomba no Congresso põe em risco ajuste fiscal
Parlamentares estão dando andamento no Congresso a projetos que podem dificultar a tentativa de ajuste das contas públicas que tem sido feita pelo governo. Perdão de parte da dívida dos produtores rurais e reajuste do Bolsa Família – entre outros itens – são exemplos de pautas que podem gerar despesas que superariam R$ 20 bilhões já no primeiro ano após sua aprovação. 

Folha de S.Paulo
Sinais da retomada chegam à arrecadação
A recuperação da economia chegou à arrecadação federal, mostra relatório do Instituto Fiscal Independente, do Senado, a ser divulgado nesta segunda. Embora o resultado positivo seja pequeno, começam a reagir as receitas vindas da cobrança de tributos que dependem diretamente da retomada, como o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e a contribuição sobre a folha de pagamento.

Presidente do TRE passa mais de 30% dos dias úteis fora de SP
O presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, desembargador Mário Devienne Ferraz, passou mais de 30% dos dias úteis em viagens oficiais. De janeiro à primeira semana de novembro, ficou 63 dias fora da capital. Devienne, com mais viagens que seus dois antecessores juntos, afirma que acumula cargos e que seu trabalho está em dia.

Valor Econômico
União continuará no conselho da Eletrobras
Mesmo depois de vender o controle acionário da Eletrobras, a União manterá o direito de indicar o presidente do conselho de administração da companhia, que terá 11 integrantes.

Estado de Minas
Ensino superior tem um terço das vagas ociosas
Quase 3,4 milhões de estudantes abandonaram a universidade no ano passado. Em Minas, foram 257 mil.