Clique e assine com 88% de desconto

Vizinhos se unem em solidariedade a vítimas de fogo no Hospital Badim

Crianças levaram flores e cartazes para a unidade de saúde; na noite de quinta-feira, um casal abriu a creche da região para receber cerca de 50 pacientes

Por Jana Sampaio, do Rio - 13 set 2019, 13h40

Um grupo de crianças do Abrigo Frei Carmelo Cox levou um buquê de flores e um cartaz com dizeres de carinho e solidariedade para os pacientes, funcionários e familiares dos dez mortos do incêndio do Hospital Badim, na Tijuca, Zona Norte do Rio. As crianças estavam acompanhadas do diácono Roberto, da Arquidiocese do Rio de Janeiro. “A ideia nasceu das próprias crianças, que se solidarizaram ao saber o que havia acontecido”, disse o religioso.

Desde o início do fogo na noite de quinta-feira 12, ações de solidariedade têm sido recorrentes. Durante o incêndio, dezenas de voluntários se reuniram para prestar apoio às famílias e equipes médicas e distribuir água aos funcionários e repórteres que trabalhavam na tragédia.

O maior exemplo foi o da Creche Criando Com Arte, do casal Jaqueline e Darci Martins. Eles receberam cerca de 50 pacientes e 40 funcionários do hospital. “Somos amigos da chefe de enfermagem do Badim e ela nos procurou pedindo ajuda no momento do incêndio. Foi montada uma CTI aqui na creche. Ficamos desesperados quando vimos tantos pacientes idosos e debilitados, mas a satisfação de poder ajudar foi maior”, disse Jaqueline.

Segundo os proprietários, a creche não funcionou nesta sexta-feira porque foi preciso fazer um trabalho de higienização para receber novamente as crianças a partir da próxima semana.

Publicidade