Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Violência no Ceará: 110 pessoas já foram presas

Violência no estado continua mesmo após reforço da Força Nacional; dois suspeitos morreram após trocarem tiros com a Polícia Militar em Fortaleza

Até este domingo, 6, 110 pessoas já foram presas por ações criminosas no Ceará, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do estado (SSPDS). As últimas informações são de que, durante a madrugada, dois suspeitos, ainda não identificados, morreram, após trocarem tiros com a Polícia Militar em Fortaleza.

Mais de 90 ataques em 20 municípios cearenses foram contabilizados desde a última quarta-feira, 2.

A violência segue mesmo com a presença Força Nacional. Com o reforço enviado de 300 agentes, foram até agora 76 presos e 34 adolescentes apreendidos, segundo a SSPDS. Não houve registro de feridos nas ocorrências registradas no estado desde a madrugada deste domingo.

Os dois suspeitos mortos na madrugada deste domingo tentaram atear fogo em um posto de atendimento do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), no bairro Granja Portugal.

Foram apreendidos coletes balísticos, um revólver calibre 38, munições deflagradas, coquetéis molotovs, galões de combustíveis, e um veículo. Um policial foi lesionado na mão, mas não corre risco de morte.

Entre os presos nesta madrugada está ainda um suspeito detido em flagrante pela venda irregular de combustíveis a grupos criminosos.

Um caminhão-tanque foi apreendido e o homem foi encaminhado para a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). De acordo com as apurações, o suspeito vendia cada galão de gasolina a 70 reais.

Há cinco dias, uma série de episódios violentos são registrados em Fortaleza e se estendem para várias cidades do Ceará. Para o defensor público Emerson Castelo Branco, que atua em presídios no estado, os incidentes se intensificaram depois de a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária ter anunciado “endurecimento” na atuação nos presídios, 12 no total.

A imprensa local do Ceará informa que a onda de violência chegou a Jericoacoara, paraíso de turistas por causa das praias, pois um ônibus foi incendiado nas proximidades de uma creche. Não há informações de vítimas.

Operações nos ônibus

A SSPDS e a Polícia Militar seguem com a operação, iniciada na sexta-feira, no interior dos coletivos de Fortaleza. Neste domingo, são 136 ônibus na capital com policiais militares dentro dos veículos; e 21 veículos na região metropolitana, seguidas por equipes de moto patrulhamento.

A iniciativa foi articulada com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), que informou os principais itinerários a serem acompanhados. Serão três policiais militares fardados dentro de cada coletivo, nas 109 linhas da capital.

A partir de meia-noite, 20 linhas de ônibus “corujões” são escoltadas por viaturas da Polícia Militar em Fortaleza, visando inibir ações criminosas contra os veículos de transporte de passageiros.

Outra medida para inibir as ações criminosas são as operações com blitze da Polícia Militar do Ceará. São 20 barreiras montadas em bairros e avenidas estratégicas da capital com mais de 100 profissionais de segurança empregados.

Força Nacional

Agentes da Força Nacional começam a atuar no estado neste sábado, após pedido do governador do estado, Camilo Santana (PT), ao ministro Sérgio Moro, da pasta de Justiça e Segurança Pública.

Moro autorizou a sexta-feira, 4, o envio de 300 agentes da Força Nacional ao estado. No dia anterior, ele havia negado o deslocamento imediato dos agentes. Além da tropa, que vai ficar 30 dias no Ceará, serão enviadas 30 viaturas.

Já o governo estadual empossou nesta sexta 373 novos policiais militares, que vão reforçar o patrulhamento nas ruas e 34 policiais rodoviários federais, nas BRs. Outro reforço veio do governo baiano, que mandou 100 PMs.

Combate ao crime

O governador Camilo Santana avisou que vai endurecer no combate ao crime e à violência que se agravaram nos últimos dias no estado.

“O momento é, mais do que nunca, de união de todas as forças. Governos, Poder Legislativo, Justiça, Ministério Público, OAB e de toda a sociedade civil”, afirmou o governador em mensagem à população. “Serei duro contra o crime”, finalizou.

“Por minha determinação, todas as forças de segurança do Ceará [Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, agentes penitenciários e Pefoce] estão em regime permanente de plantão para coibir essas ações, prender os bandidos e proteger a nossa população”, afirmou o governador.

Apenas do Ceará, serão 29.000 profissionais destinados ao trabalho, de acordo com Camilo Santana. De acordo com ele, o foco é o combate ao combate ao crime organizado, fora e dentro de unidades prisionais. Para o governador, os criminosos têm um objetivo específico: pressionar o estado a recuar nas medidas adotadas. “Não há nenhuma possibilidade de acontecer. Pelo contrário: endureceremos cada vez mais contra o crime.”

O governador reiterou que haverá uma secretaria especialmente para a atuação nos presídios. Houve o reforço no sistema de segurança com a contratação de quase 10.000 profissionais nos últimos quatro anos e mais 600 foram convocados para atuação imediata. Também foram comprados equipamentos, mais de 2.100 viaturas e ampliado o esquema de tecnologia e inteligência.

Camilo Santana disse que conversa de forma permanente com os ministros da Justiça e Segurança, Sérgio Moro, e Defesa, general Fernando Azevedo, para ações conjuntas. “É papel de todos proteger a população, deixando de lado vaidades e interesses pessoais ou partidários”, destacou. “O bem-estar da população do Ceará sempre estará em primeiro lugar e lutarei com todas as minhas forças por isso.”

(Com Agência Brasil)