Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vídeo: mascarados depredam o Ministério da Cultura

Black blocs soltam bomba na entrada privativa do ministro, apedrejam vidros e destroem computadores por mais de 30 minutos no Ministério da Cultura

Por Felipe Frazão - Atualizado em 25 Maio 2017, 19h57 - Publicado em 25 Maio 2017, 19h00

Vídeos de circuito interno obtidos por VEJA mostram o início dos atos de vandalismo contra o Ministério da Cultura (Minc) no Ocupa Brasília, protesto contra o presidente Michel Temer que terminou em pancadaria e baderna nesta quarta-feira. As imagens revelam que os mascarados atacaram por mais de meia hora o andar térreo do edifício, sem qualquer reação de forças de segurança federais ou policiais militares. A defesa do edifício, dividido com o Ministério do Meio Ambiente, era de responsabilidade do governo federal e realizada por agentes privados contratados.

A ação dos vândalos começou por volta às 14h36. Havia um grupo de sindicalistas sentado na calçada. Eles se retiram em meio a uma correria na Esplanada. No mesmo momento, os mascarados começam a atirar pedras nas vidraças. Depois, destroem a entrada com barras de ferro e uma placa de sinalização. Um deles arremessa uma bomba contra a porta de entrada e comemora erguendo os braços.

O principal ponto de ataque foi a recepção, onde computadores foram destruídos, e a entrada privativa do ministro, onde os black blocs incendiaram um sofá – o fogo foi apagado por bombeiros civis do Minc. Dezenas de vidraças foram apedrejadas, algumas no terceiro andar.  Uma biblioteca que seria inaugurada na próxima semana foi vandalizada – os mascarados atearam fogo aos livros. O prejuízo ainda não foi calculado, segundo a assessoria do Minc, porque está sendo feita uma perícia pela Polícia Federal. Por esse motivo, o expediente foi suspenso nesta quinta e na sexta-feira.

No mesmo edifício, funciona o Ministério do Meio Ambiente. Segundo a assessoria do órgão, além do princípio de incêndio e dos equipamentos, houve depredação de mesas, cadeiras, extintores, elevadores e móveis do hall de entrada. O ministério estimou os prejuízos, até o momento, em cerca de 230 000 reais. O MMA funcionou parcialmente nesta quinta – a parte administrativa foi a mais afetada.

Continua após a publicidade
Publicidade