Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vídeo: Cunha queria usar Kroll contra Lava Jato, diz Odebrecht

Assista ao depoimento do empreiteiro Marcelo Odebrecht, que acusa o ex-deputado Eduardo Cunha de tentar anular a Lava-Jato com a empresa Kroll

O empreiteiro Marcelo Odebrecht, em acordo de delação premiada, disse ter se reunido com o ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha para discutir estratégias que pudessem anular a Operação Lava-Jato. Uma das sugestões feitas pelo executivo foi contratar a empresa Kroll, especialista em espionagem – tese à época rechaçada por Cunha, mas colocada em prática tempos depois.

“Eduardo Cunha estava convicto de que uma das maneiras de levar nulidade à Lava Jato seria descobrir inconsistências na delação de Paulo Roberto [Costa, ex-diretor da Petrobras] ou [Alberto] Youssef. E uma delas [das inconsistências] seria achando contas no exterior que não foram anunciadas”, relatou Marcelo Odebrecht.

“Eu sugeri: ‘Por que vocês não contratam a Kroll?’ Ele disse: ‘Não vai se meter nisso não’. E aí a gente não deu sequência. Não sei se essa foi uma das razões implícitas ou explícitas que ele contratou a Kroll”, acrescentou o empreiteiro.

Veja também

Na ocasião da reunião, o então presidente da Câmara vivia a expectativa de ser levado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelas mãos do procurador-geral Rodrigo Janot. A primeira “lista do Janot” seria apresentada semanas depois da reunião. Por força de Eduardo Cunha, o plano para melar a Lava Jato foi posto em prática. A Kroll foi contratada por decisão do presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), e do sub-relator André Moura (PSC-SE). Oficialmente, o argumento usado foi o de que a empresa ajudaria a CPI a investigar os envolvidos no escândalo do petrolão. A Kroll foi usada para vasculhar contas bancárias e patrimônio no exterior de doze delatores da Operação Lava Jato. A tentativa de sabotar as investigações, no entanto, fracassou.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. confisca todos os bens destes terroristas e depois fuzila. estes assassinos canalhas, miseráveis, nossas famílias passando fome, crianças morrendo, neste país não tem dinheiro pra nada, desemprego, miséria, fome, doenças, e estes desgraçados milionários, tem que morrer todos pena de morte já, crime hediondo e terrorismo, vão tudo pro colo do capeta.

    Curtir

  2. JOSÉ ROBERTO DE LIMA MACHADO

    Sra Ministra do STF, convoque o Comando das FFAA, Ministros da Fazenda,Banco Central e dê o ultimato ao Congresso.Decrete “Estado de Emergência” e envie todos os denunciados e citados para a Ilha de Fernando de Noronha, sem comunicações, enquanto junto com as lideranças restantes agilize a Lava Jato,organize um governo de transição e assuma compromisso com todos os investidores/Comércio Internacional. Interdite lideranças de Movimentos “sociais” e sindicais para não tumutuar o “restabelecimento da ordem”. Em três meses,com medidas de exceção, o Brasil retoma o rumo.

    Curtir