Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vento e chuva obrigam o Papa a encurtar discurso na vigília

Por Pedro Armestre 20 ago 2011, 18h38

Uma forte tempestade obrigou neste sábado o Papa Bento XVI a reduzir o seu discurso na vigília de oração da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no aeródromo de Cuatro Vientos, nas imediações de Madri.

Depois de terem suportado temperaturas próximas dos 40 graus durante todo o dia, os peregrinos presentes na vigília sofreram com a chuva e com um forte vento, que arrancou inclusive o solidéu do Papa, no momento em que o Santo Padre iniciava seu discurso.

Os assistentes protegeram depois Bento XVI com um guarda-chuva branco, que esboçou um sorriso, aguardando o final da tempestade, enquanto os jovens fizeram a festa aos gritos de “Bento, Bento!”, “Esta é a juventude do Papa!” e “Nada está acontecendo, que a Jornada continue!”.

“Não temos mais como ficar aqui. Não trouxemos capas. Mais isso vai passar logo”, disse à AFP René, um peregrino francês otimista, tentando se proteger embaixo de uma lona, assim como seus companheiros que utilizaram lonas e bandeiras como abrigo.

Mas o vento chegou a arrancar uma tenda, “atingindo seis jovens”, que não precisaram ser atendidos, indicaram os serviços de emergência.

Quando a tormenta perdeu força, o Santo Padre retomou seu discurso agradecendo aos jovens “por esta alegria e resistência”.

Bento XVI prosseguiu com seu discurso, mas o encurtou em cerca de dez minutos, antes de deixar o palco para mudar de roupa e retornar para realizar a adoração do Santíssimo.

Durante sua ausência, os bombeiros aproveitaram para avaliar parte da estrutura metálica do grande cenário.

“Vivemos uma aventura juntos. Firmes na fé em Cristo, resistiram à chuva. Antes de deixá-los, quero dar boa noite a todos, que descansem bem”, acrescentou.

Continua após a publicidade
Publicidade