Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vândalos invadem casa durante carnaval na Vila Madalena

Reportagem flagrou o momento em que um grupo arrombou a porta de uma residência vazia na rua Fidalga. Traficantes também vendiam drogas livremente

Era por volta de 00h30 desta quarta-feira quando um grupo de sete homens invadiu uma casa vazia na Rua Fidalga, na Vila Madalena. Àquele horário, o tradicional carnaval de rua do bairro boêmio já havia se transformado em ‘pancadão’ – diversos grupos de foliões se concentravam em volta de porta-malas abertos tocando funk em som alto. Com uma placa de “alugo” pendurada na varanda, a residência número 282 teve a porta arrombada pelos vândalos e as paredes da parte interna foram cobertas de urina – não havia nenhum objeto dentro do domicílio que pudesse ser roubado. Reportagem do site de VEJA presenciou o momento da invasão e novamente flagrou traficantes vendendo drogas livremente na Vila Madalena. “Olha o lança. Olha o doce”, anunciavam os criminosos em voz alta, enquanto circulavam entre a multidão.

Leia mais:

Tumulto na Vila Madalena termina com quatro feridos

Sem bloco, Vila Madalena tem ‘pancadão’ e drogas

Casa invadida por vândalos na Vila Madalena Casa invadida por vândalos na Vila Madalena

Casa invadida por vândalos na Vila Madalena (/)

O caso ocorreu um dia depois de foliões entrarem em confronto com a Polícia Militar na madrugada desta terça. Na ocasião, homens embriagados jogaram garrafas para cima dos policiais, que reagiram com bombas de efeito moral – quatro pessoas ficaram feridas, entre elas um policial e um gari. Na madrugada desta quarta-feira, entretanto, a operação de dispersão na Vila Madalena ocorreu sem incidentes. Com o apoio da Força Tática da PM, cerca de cem policiais fizeram uma espécie de cordão de isolamento e caminharam em direção à aglomeração de gente para esvaziar a região. Conforme foi acertado pela prefeitura em um acordo com os moradores do bairro, as festividades deveriam se encerrar até a 1 hora da manhã. Além do forte efetivo policial, nove caminhões de água de reuso da Sabesp, dois caminhões de lixo e cerca de cinquenta garis fizeram a limpeza do local. Mesmo após a dispersão, ainda era possível ver pequenos grupos isolados em alguns pontos da região.

Morador e dono de uma padaria no bairro, Sérgio Lousa afirmou que o carnaval deste ano foi “muito pior” do que os anteriores. “Foi igual à Copa do Mundo. Para o bairro, foi muito ruim”, disse Lousa, referindo-se ao episódio em que torcedores, sobretudo argentinos, entraram em conflito com a Polícia Militar, em julho do ano passado. Procurada, a Polícia Militar não quis informar quantas pessoas estavam na Vila Madalena na hora da dispersão nem a quantidade de policiais destacados para realizar a operação.

Polícia Militar realizou operação para dispersar os foliões na Vila Madalena Polícia Militar realizou operação para dispersar os foliões na Vila Madalena

Polícia Militar realizou operação para dispersar os foliões na Vila Madalena (/)