Clique e assine a partir de 8,90/mês

Vale adota protocolo de emergência em barragem em Ouro Preto (MG)

De acordo com a mineradora, a decisão é uma medida preventiva após uma inspeção de rotina detectar uma anomalia na estrutura

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2019, 11h25 - Publicado em 31 out 2019, 11h13

A mineradora Vale acionou preventivamente, nesta quinta-feira, 31, o protocolo de emergência em nível 1 da barragem Forquilha IV, na Mina Fábrica, em Ouro Preto (MG). De acordo com a Agência Nacional de Mineração (ANM), a medida não requer a evacuação da população. A barragem não recebe rejeitos desde fevereiro deste ano.

Segundo nota divulgada pela mineradora, a decisão é uma medida preventiva, resultado da avaliação da própria Vale, e acordada com órgãos de fiscalização externos, após uma inspeção de rotina ter detectado anomalia na barragem. Com isso, acrescenta a empresa, “a expectativa é que se torne negativa a Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) da estrutura”.

A ação, ressalva a mineradora, não terá impacto no plano de produção deste ano, visto que o mesmo não previa a disposição de rejeitos na estrutura nos próximos anos. Em um período de quatro anos, outras duas barragens da mesma mineradora romperam também em Minas Gerais — nos municípios de Mariana e Brumadinho — e deixaram mais de 270 pessoas mortas.

Em 25 de janeiro deste ano, a barragem Córrego do Feijão, da mineradora Vale, em Brumadinho, rompeu. Pelo menos 252 morreram e, depois de oito meses da tragédia, o Corpo de Bombeiros ainda trabalha na localização de vítimas soterradas pela lama. O relatório final da CPI da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que apura o rompimento da barragem, indica que a mineradora sabia que a barragem operava com fator de segurança abaixo do previsto pelas normas internacionais do setor.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade