Clique e assine a partir de 8,90/mês

Turista brasileiro troca hotel por aluguel em Orlando

Por Da Redação - 15 jul 2012, 08h22

Por AE

São Paulo – Não basta ser o número um no ranking de turistas estrangeiros que mais gastam na Flórida. Não basta lotar parques da Disney, outlets e restaurantes. O brasileiro agora quer se sentir como um local. Saem de cena os hotéis três estrelas sem café da manhã e entram os casarões em estilo americano, com piscina, sótão, quintal e garagem. A moda agora em Orlando é alugar.

A clientela brasileira da Orlando Fun Rentals, uma das agências que atuam na área, mais do que dobrou nos últimos três anos. Em todo o mercado de locação de casas e apartamentos da cidade, brasileiros já respondem por 30%.

“Antes, os pais mandavam as crianças para a Disney com excursão. Agora, cada vez vêm mais famílias, que não cabem em um quarto de hotel”, diz o corretor e dono da Orlando Fun Rentals, Martônio Pinto, brasileiro que mora há 26 anos nos Estados Unidos. Dona de uma casa que mantém apenas para alugar em Orlando, a empresária norte-americana Gina Medina diz que “pelo menos 50% dos meus clientes são brasileiros.”

A relação custo-benefício é boa. Em média, uma casa de quatro quartos para até oito pessoas sai por US$ 150 a diária – a mesma quantidade de pessoas só caberia em dois quartos grandes de hotel a US$ 100 por dia, ou distribuídas em quartos duplos de US$ 90 a diária em hotéis duas estrelas. Quanto maior a casa, maior a economia: casarões de sete quartos para 14 pessoas saem entre U$ 250 e U$ 300. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Continua após a publicidade
Publicidade