Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trinca em casco de navio-plataforma vaza óleo na Bacia de Campos

Administrado pela empresa Modec e afretado pela Petrobras, navio está fora de operação desde o ano passado e em processo de saída da região

A Petrobras informou, nesta segunda-feira 26, por meio de nota, que houve um vazamento de aproximadamente 1,2 metro cúbico de óleo residual proveniente do navio-plataforma FPSO Cidade do Rio de Janeiro na Bacia de Campos, no norte fluminense.

A embarcação apresentou trincas no casco, verificada após inspeção nos tanques externos da embarcação. O comunicado foi feito na sexta-feira 23 à estatal pela empresa Modec, dona do navio que é afretado pela Petrobras.

A plataforma FPSO é uma unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência utilizado pela indústria petrolífera para a exploração (produção), armazenamento petróleo e/ou gás natural e escoamento da produção.

O navio-plataforma FPSO Cidade do Rio de Janeiro está fora de operação desde o ano passado e em processo de saída da locação do campo de Espadarte, a 130 quilômetros da costa. A retirada das 107 pessoas embarcadas foi iniciada no sábado (24) e concluída nesta segunda-feira.

A Petrobras informou ainda que, após um sobrevoo na área após o evento, não identificou mancha de óleo na superfície do mar.

Após novas avaliações, nesta segunda-feira, a estatal identificou aumento na extensão das trincas. “A Petrobras comunicou a ocorrência às autoridades e vem apoiando a Modec nas ações de contingência”, informou a empresa na nota.

Na página da empresa, a Modec informa que fornece soluções flutuantes competitivas para a indústria offshore de petróleo e gás e é reconhecida como especialista líder em embarcações de armazenamento e descarregamento de produção flutuante (FPSO), embarcações de armazenamento e descarregamento flutuantes (FSO), GNLs flutuantes (FLNGs), plataformas de tensão (TLPs) e semisubmersíveis de produção.