Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TJ-RJ concede habeas corpus ao ‘Dr. Bumbum’, acusado por morte de paciente

Médico foi preso em julho de 2018, após a morte da bancária mato-grossense Lilian Calixto, que viajou para o Rio a fim de realizar um procedimento estético

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu, nesta terça-feira 29, habeas corpus ao médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como “Doutor Bumbum“. Ele estava preso desde julho de 2018, acusado pela morte da bancária Lilian Calixto que se submeteu a um procedimento estético nos glúteos em seu apartamento, na Barra da Tijuca. 

O inteiro teor da decisão não foi divulgado. Pelas medidas apresentadas, a prisão de Furtado será substituída por medidas cautelares, com a obrigação de comparecimento periódico em juízo e proibição de manter contato com pessoas envolvidas no processo, além do impedimento de sair do município do Rio de Janeiro e recolhimento domiciliar no período noturno. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Três desembargadores da 7ª Câmara Criminal, de forma unânime, atenderam a um pedido da defesa do médico realizado em novembro, em processo que tem como relator o desembargador José Roberto Lagranha Tavora.

Lilian Calixto, bancária, de Cuiabá, viajou para o Rio a fim de se submeter a um procedimento estético com o médico. Após complicações, ela foi levada ao hospital Barra D’Or, com um quadro considerado extremamente grave. Segundo o estabelecimento, ela deu entrada na emergência às 23h, mas não resistiu e morreu duas horas depois. 

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro, então, abriu uma sindicância para investigar a conduta do médico, já que, segundo o órgão, ele não teria autorização para atuar no estado, nem poderia realizar procedimentos em sua residência.