Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Tiroteio assusta os moradores do Alemão

Por Da Redação 6 set 2011, 21h43

Um tiroteio assusta os moradores do Complexo do Alemão na noite desta terça-feira. A Estrada do Itararé e a Avenida Itaoca, principais vias do complexo, estão interditadas. A Força de Pacificação não confirma, mas moradores informam que o comércio fechou e que o teleférico foi paralisado. Também segundo moradores, bombas foram detonadas em vários pontos do complexo. Segundo o Comando Militar do Leste, foram disparados tiros contra a tropa da Força de Pacificação. Os disparos teriam partido de morros vizinhos ao Alemão, que ainda não foram pacificados.

Uma pessoa deu entrada no Hospital Getúlio Vargas, ferida com estilhaços de granada na cabeça. Foram enviados reforços ao local. Seis veículos blindados e cem homens do Exército que participariam do desfile da Independência nesta quarta-feira foram deslocados para o Alemão. A Polícia Militar e o Batalhão de Operações Especiais (Bope) também reforçam a segurança.

O vídeo abaixo foi divulgado através do Twitter do Voz da Comunidade, jornal editado por moradores do Complexo do Alemão”.

Desde domingo moradores do Alemão estão em choque com as forças de pacificação. De acordo com o Exército, policiais faziam uma ronda na região noite deste domingo quando foram hostilizados por um morador. Ao lhe dar ordem de prisão por desacato, os policiais sofreram agressões dos moradores, que arremessaram garrafas e pedras contra as autoridades. Uma outra versão, sustentada pelos moradores, dá conta de que a confusão teve início por causa do barulho de uma televisão em um bar. A discussão entre os policiais e os moradores sobre a necessidade de abaixar o volume do aparelho ocasionou o confronto. Os policiais das forças de pacificação dispararam balas de borracha e usaram spray de pimenta para dispersar a multidão, em ação truculenta, que fez feridos e provocou protestos. O episódio é alvo de investigação do Ministério Público Federal.

O Complexo do Alemão foi ocupado pelas forças de segurança no dia 28 de novembro de 2010, quando o estado atravessava uma situação limite. Criminosos incendiavam carros em vários pontos da cidade, sem que policiais, bombeiros e autoridades de segurança enxergassem como dar conta da situação.A colaboração das Forças Armadas com o governo do estado foi a saída encontrada naquele momento – e apresentada como transitória pelas autoridades estaduais.

Agora, no entanto, não há horizonte claro para a retirada das tropas. No último dia 30, foi anunciada a prorrogação da permanência das tropas do Exército nos complexos do Alemão e da Penha até junho de 2012. A página do governo do estado traz a justificativa do secretário de Segurança do Estado do Rio, José Mariano Beltrame: “Isso permitirá à Secretaria de Segurança trabalhar com mais tempo o planejamento das próximas UPPs, a formação de novos policiais, o envio de novo efetivo para repor as perdas dos batalhões do interior e a preparação do Batalhão de Choque para a atuação na Conferência Rio + 20”, diz a nota, em frase atribuída ao secretário.

A PACIFICAÇÃO EM XEQUE: PERMANÊNCIA DO EXÉRCITO NO ALEMÃO É IRREGULAR

Continua após a publicidade

Publicidade